Réquiem para o Centro-2

Como o Centro da cidade está desaparecendo, iniciamos ontem um passeio pelo comércio de ontem e do que resta hoje, em companhia do Guilherme Nucci e do senhor Ayres Pereira Filho. Eles vão contando. Vamos em frente?

Sacramento – Curso Adolfo Lutz; Farmácia do Carmo; Foto Automático; Jóquei Clube e Clube Campineiro; Auto Escola Brasil; Bar Ponto Chic; ponto do bonde ‘4’, para o Taquaral.

Regente Feijó – Cines Alvorada, Windsor e Rádio; Rádio Educadora; Loja Líder; Hotel Savoy; Ducal; Casa Santa Cecília; Conservatório Carlos Gomes; Hotel Vitória.

José Paulino – Empório Guarani; Ao Preço Fixo; Relógios Tagus-Dimep; Casa Boris; Largo do Teatro; Quartel do Corpo de Bombeiros; Farmácia Noturna; Palácio dos Azulejos; Casa Lord.

A Firenze e o João Pinto Alfaiate, na Dr. Quirino; A Casa Cabral, na Lusitana, que fazia carimbos. O caldo de cana, que a gente só chamava de garapa, na General Osório, pegado ao cine Voga. Um pouco mais para cima, depois do Demétrio, existiu, por uns anos, uma loja chamada Novidades Athenas, vendedora exclusiva para Campinas dos produtos Kanitz. O Fiolo Alfaiate era na Aquidaban, bem lá em cima.

E as professoras de admissão ao ginásio? As mais famosas: Dona Dulce (classe na garagem da casa dela, na Coronel Quirino, quadra seguinte à do Tênis, do lado oposto); Dona Yolanda, na Escola Bento Quirino, Benjamin Constant com Sacramento; também competentíssima, Dona Benedita Santoro. E dona Aninha e Seo Pompeu Di Túlio, na Bernardino de Campos, 360. Sem elas, como realizar o sonho de entrar no Culto à Ciência?

Era a Casa Tamoio que vendia guarda-chuvas, em frente à Estação da Paulista? Circos e parques de diversões eram montados naquele terreno imenso perto do Culto à Ciência, ali na confluência de Delfino Cintra, Antônio Lobo e Hércles Florence. Você chegou a conhecer uma oficina de conserto de bicicleta, cujo dono chamava-se Seu Pascoal? Ficava naquela ruazinha ao lado do Cine Ouro Verde, que vai da Conceição à César Bierrencach, atrás do edifício Itatiaia? Beco do Rodovalho! E a padaria Brasil, exatamente atrás da bicicletaria, na Rua Irmã Serafina? Tinha queijadinhas e canudinhos de doce de leite fantásticos. Vamos comer um?

Pregado no poste: “Camelô não dá nota fiscal, mas dá voto”

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *