O pintinho da vizinha

Ou seria do vizinho? Mas é muito barulho por nada. Conta o repórter Bargas Filho que o pau (ainda) não comeu num prédio da Rua Benjamin Constant. Mas falta pouco. Um pintinho criado pela vizinha da auxiliar de enfermagem Shirlei de Lourdes Rocha não deixa ninguém dormir. Pia que é um beleza. Está certo que ela nem sabe se o pintinho existe, mas que todo mundo ouve e ninguém puxa o ronco, disso ela não duvida.

Dona Lourdes prestou queixa na polícia, até abriram boletim de ocorrência (Só em Campinas fazem boletim de ocorrência por causa de um pinto!), mas ninguém descobre onde está o pinto. A dona do apartamento jura que não tem pinto. Mas uma amiga da vítima colocou o ouvido na porta perto de onde fica o pinto e ouviu ele piar. O doutor delegado suspeita de que o pinto da vizinha cante numa fita gravada, que roda o tempo todo só para infernizar os outros vizinhos, que não têm pinto para responder a altura.

Dona Lourdes, tenho três sugestões para a senhora fazer o pintinho calar a boca, digo, o bico:

  1. Como a senhora diz que ele canta há meses, acho que esse pinto cresceu. E já deve comer milho. A senhora arruma um jeito de enfiar um anzol daqueles bem pequenininhos num dos grãos de milho que a vizinha dá pro pinto dela. Ele não morre, mas nunca mais vai cantar. Anzol a senhora compra aí na loja “Caça e Pesca”, na César Bierrenbach, se é que ainda existe a “Caça e Pesca”. A César Bierrenbach também existe, pois não?
  2. Se for difícil enfiar anzol no milho, sem a sua vizinha descobrir, a “Caça e Pesca” vende um pio de caça que é tiro e queda. Ultrassônico – só os bichos ouvem. Cachorro, então, até fica de joelhos, implorando silêncio. E ficam malucos de dor de ouvido. Param de piar na hora (Será que o pinto da sua vizinha tem ouvido?).
  3. Se anzol e pio de caça não derem certo, dona Lourdes, o único jeito é colocar uma camisinha nesse pinto.

Tenha um bom sono, dona Lourdes. Longe do pinto.

Pregado no poste: “Seo Toninho, e o salário dos médicos?”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *