Korda em terra de enforcados

(Antes de falar na forca, uma novidade: na Itália, existe o Sindicato dos Telespectadores. E eles fizeram uma greve de cinco dias, na semana passada, para lutar contra a alienação e perda de tempo diante da TV e a má qualidade da programação. A TV brasileira bem que merece uma greve de telespectadores, mas de 365 dias, principalmente quando começar o horário político, digno de ser exibido com exclusividade pelo canal do esgoto.)
Agora, a forca. Deu nos jornais: “Filho de fotógrafo cubano famoso foge para os Estados Unidos. MIAMI – A família de Dante Díaz, um dos filhos do fotógrafo cubano Alberto Korda Díaz, que tirou a mais famosa foto de Ernesto Che Guevara, fugiu de Cuba e pediu asilo político em Miami. Díaz, de 27 anos, alegou que ele, a mulher, Aidelin García, e os três filhos ‘merecem uma vida e uma educação fora de um país envenenado pela inveja, a mesquinhez e a falta de respeito aos direitos humanos mais elementares’. Díaz disse que desde a morte do pai, no ano passado, eles têm sido perseguidos.”.
A notícia, distribuída pela agência espanhola EFE e pela BBC, de Londres, acrescenta que Dante chegou a se entricheirar no apartamento em que ele e a família moravam, em Havana, porque a polícia do ditador Fidel Castro (paladino universal dos direitos humanos) queria arrancá-lo à força. Tudo porque ele e a irmã mais velha, Diana, disputam os direitos de herança dos negativos deixados pelo pai, morto em maio do ano passado.
Olha, se até o filho do legendário fotógrafo é perseguido em Cuba, não demora muito, veremos o coitado do Fidel Castro (paladino universal dos direitos humanos) desembarcando de uma balsa na Flórida, implorando asilo político ao seu colega George Bushinho. Afinal, há (apenas) 43 anos esse pobre homem dirige um país onde não há direito à greve, liberdade sindical, pluralismo partidário, direito à livre manifestação, à liberdade religiosa, à liberdade de imprensa, à liberdade para viver, à liberdade de ir e vir, à liberdade… Enfim, tudo aquilo que seus amigos, admiradores, seguidores, defensores e correligionários pediam aqui no tempo da ditadura militar lá é negado ao povo. Com tamanha asfixia na terra do Korda, nem Fidel agüenta, coitadinho.
Ou será que é isso que querem para nós e só vão revelar depois da posse?
Pregado no poste: “Não trate os políticos como gente, mas como eles tratam a gente.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *