Estrangeiros

Ontem, alguém que gosta de Campinas como ela está deu seu recado neste espaço. Hoje, o desabafo de alguém que não gosta:

De fato, nossa querida está na pior, mas, muito pior do que qualquer ser consciente possa imaginar. A administração é um caos: não só aquilo que você citou, mas muito mais. Na do “querido” Chico, que já deixa saudades, tínhamos 263 comissionados, contando prefeito, vice, gabinetes, secretários e  diretores. Hoje, temos mais de 1.500 talvez, ninguém sabe ao certo, nem eles. E lembrar o quanto falaram bobagens do homem. A cidade está realmente abandonada, e eles, ‘perdidinhos’.

Entre os comissionados, não existem quase campineiros, mas um grande cabide de emprego do PT nacional e internacional, pois, neste elevado número, estão incluídos cupinchas de São Paulo, Jundiaí e do Exterior, que falam um portunhol todo esquisito. Sabe o que o Secretario de Cultura faz? Passa e-mails, às vezes com nome disfarçado, filosofando teoria comunista totalmente obsoleta. Sabe quantos comissionados há na Secretaria da Segurança? Quarenta; no tempo do Lilão, apenas cinco, contando ele, diretores e assessor. Para que tantos? É cabide mesmo, e a segurança, cada dia pior…

E no Jurídico? Quarenta comissionados, e no tempo do Iglesias e do Noronha, seis, ao todo. E no Gabinete? E na Obras? E no resto? Está uma beleza, às custas alheias… E a arrogância em cima dos funcionários? Pois é meu caro, o povo acreditou e deu nisso. Agora, Inês é morta.

Peço que não me cite nominalmente, pois, certamente, terei grandes complicações, visto que não sou político, mas sobrevivo no meio, pois sou apenas um humilde servidor público municipal da nossa Campinas.

***

Nada contra estrangeiros, nem brasileiros de outras cidades. Desde que venham para trabalhar e não como aventureiros, forasteiros inúteis. Gente, por exemplo, que fique por aqui depois que dona Izalene terminar o mandato, mesmo que outro partido assuma o Jequitibás. Ou será que só estão aqui por causa do partido? Trabalham por Campinas ou por intere$$es político$? Do jeito que está a cidade (cada dia pior), até agora, ninguém fez nada que preste. Dona Izalene, avise aos “comissionados” que não estão ali para ganhar comissão.

Quer distinguir um campineiro de alguém que chegou para se aventurar, dona Izalene? É fácil: os campineiros estão de cabeça baixa. Teremos de esperar até 2004 para erguer a cabeça?

Pregado no poste: “Seo Rosa teria morrido de novo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *