Arigatô!

Ele conseguiu!

Poucos brasileiros dedicam tanto amor à nossa terra como os japoneses. Consagram o verso do hino “dos filhos deste solo és mãe gentil” mais do que nós mesmos. Devemos a eles muito do que nos alimenta. Ajudaram o Instituto Agronômico de Campinas no desafio de transformar uma colhedora de cerejas trazida dos Estados Unidos na primeira máquina de colher café, a K-3, fruto da genialidade de um ex-bóia-fria chamado Shunji Nishimura.

Seo Nishimura observou tanto a luta do doutor Airton Rigitano e do João Fava, do IAC, que acabou bancando a idéia. Levou com ele o João Fava para sua incrível “Jacto Máquinas Agrícolas”, de Pompéia, ali pertinho de Marília. Com um engenheiro da Unicamp mais o diretor de produção do extinto Instituto Brasileiro do Café, José Maria Jorge Sebastião, montaram uma seleção brasileira de cientistas.

Mas a K-3 só saiu no dia em que seo Nishimura esbravejou:

— Será que vocês nunca viram o caboclo colher café!? Não é batendo com ripas nos galhos até o fruto cair? Então! Precisamos de uma máquina que bata, mas com delicadeza, nos galhos até o café cair. É só ele cair numa esteira, como as de um trator, ser ensacado e deixado no fim da rua, pra carrocinha ou o caminhão pegar…

— É mesmo!

Mais um ovo colocado em pé a serviço do mundo.

Antes, seo Nishimura inventara o pulverizador costal, para aplicar defensivo nas lavouras, longe do nariz do trabalhador, usado até hoje, do Equador aos pólos. É dele a idéia do computador que regula a saída de defensivo dos tratores só em direção às plantas – no intervalo entre um arbusto e outro, ele pára de borrifar automaticamente. Coisa de japonês.

“Coisa de japonês” foi a primeira “coisa” que disse a esse homem extraordinário, quando acompanhávamos a guerra de adaptação da colhedora de cereja para nossos cafezais. Perguntei a ele: “E agora, seo Nishimura? E a colhedora de laranja, quando vem? Isso é coisa de japonês…”

Ele sorriu aquele sorriso que me orgulha sempre que nos vemos. Pois é, amigos. Essa ‘coisa de japonês’ está pronta e será lançada nos laranjais do Brasil segunda-feira. O último produto de grande importância econômica da agricultura brasileira terá sua colheita mecanizada, como o café, algodão, soja, milho, arroz, feijão, uva, cana…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *