Três cartas

Papel também. Papel higiênico, então! Não é porque aparece na tela do computador é verdade. Antigamente, os boatos vinham no papel: a revista Veja caiu no Primeiro de Abril de uma publicação científica inglesa e fez um professor da USP dizer que cruzamento de boi com tomate dá um legume rico em proteína, o “boimate”. O repórter Juarez Soares acreditou que um gaiato português fosse, mesmo, o avante Simões da seleção lusitana de 1966, depois “formado” em Medicina e com consultório recém-aberto em Campinas (tratou do Renato Otranto!). O charlatão foi preso em Caraguatatuba — não por charlatanice, mas por que matou a mulher.

No jornal (jornal?) cubano Granma, saiu uma lista de gente do mundo inteiro apoiando Fidel Castro numa de suas fanfarronadas. Até Chico Buarque. O Granma enalteceu o apoio de um a cidadão americano (vejam só!) chamado Donald Duck. Alguém avisou que era o Pato Donald e o sobrinho do capitalista Patinhas saiu da lista dos comunistas…

Imitando o então governador Adhemar de Barros, o jornalista Ferreira Neto ligou do Palácio dos Campos Elíseos para Edmundo Monteiro, presidente dos Diários Associados, ‘convidando-o’ para a presidência do Banespa. “Diga aos jornalistas que você não aceitou. Edmundo!” Tancredo Neves aprendeu e deu o mesmo recado a Paulo Brossard, para tirar-lhe o desejo de ser ministro da Justiça.

Do papel para o ar: Gugu entrevistou “bandidos” do PCC, e Amaury Júnior, o “filho” do dono da avoante Gol. Na Rádio Cultura, entrevistei o jogador Hélio Gligliori, chamando-o de Ladeira – e o Hélio dizia chamar-se Edson Arantes do Nascimento. Numa rádio da Colômbia, o repórter telefonou para Fidel e disse que era Hugo Chávez. O Pinochet de Cuba caiu como aquele pato do Granma.

Na Internet, os boatos exageram, ofendem. Leia só o que chega:

Sandy será garota-propaganda de Jontex; comediante americano imita Lulla de porre; ‘repórter’ entrevista ‘traficante’ contrário à venda de armas.

Um jornalista irresponsável espalhou que o marido de Glória Pires seduzira Cléo Pires, filha da atriz. Horrível. Na telinha, o marido da personagem de Glória Pires é seduzido pela “filha” da personagem de Glória. Belíssima coincidência.

Pregado no poste: “Pague seu IPTU para não atrasar o salário dos vereadores”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *