Não fale

Nestes tempos de gente tão educada, de ilustres passageiros com belos tipos faceiros viajando ao seu lado, creio que os nossos ônibus nem exibam mais aquela plaquinha pedindo que não se fale com o motorista. Hoje todos sabem: dirigir-se àquele homem é um perigo para a segurança de todos. Eu e a magnífica professora Regina Estela Guido Rossi Torquato tínhamos mania de colecionar essas placas, só para descobrir, pela linguagem, de onde vinha o ônibus.

Vamos lá?

Minas Gerais — O motorista não fala com estranhos.

Bahia – Meu rei, não acorde o motorista.

Cuba – Arrancaram a língua do motorista.

Israel – O que você ganha se falar com o motorista?

Inglaterra – Pede-se a fineza de não falar com o motorista.

Itália – O motorista só fala com as mãos.

Espanha – O motorista é contra falar com ele.

Brasília – O motorista só fala se receber propina.

Alemanha – Não fale com o motorista!

Japão – Não fale com o robô.

Estados Unidos – Baixe a arma para falar com o motorista.

Afeganistão – Se falar com o motorista ele te mata!

Goiás – Não cante com o motorista.

Piracicaba – Não fale em chifre com o motorista.

Rio – O motorista foi tomar um café.

China – Dê um pastel, que ele fala.

Argentina – O motorista pensa que fala inglês.

Barretos – Seguuura, motorista!!!

Ribeirão Preto – O motorista foi tomar um chope.

Lisboa – O motorista viajou-se.

Itu – A boca do motorista vem em outro ônibus.

França – O motorista está filosofando.

Grécia – Pense antes de falar com o motorista.

Índia — Não toque flauta, que o motorista sai pela janela.

Ceará – Não balance a rede do motorista.

Las Vegas – Quer apostar como o motorista não fala?

Baixada Fluminense – O motorista só fala na presença do advogado.

ABC – Não fale com o motorista; ele está em greve.

Belo Horizonte – O motorista trabalha em silêncio.

Maranhão – Peça ao Sarney para falar com o motorista.

São Paulo – Entre na fila para falar com o motorista.

Aqui perto – O motorista só fala com o namorado.

Mais ao sul – O motorista só fala depois de instalar o pino de segurança.

Pregado no poste: “Só denunciam por assédio sexual homem feio”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *