‘Voto apurado…

… Ouvinte informado”. Esse slogan celebrizou a cobertura da apuração de eleições em Campinas. Era o Lombardi Neto, da Rádio Educadora, chamando ao vivo do Palácio da Justiça, onde as ‘juntas’ apuradoras se ‘juntavam’ para contar as cédulas dos candidatos depositadas nas urnas. Depois, veio a cédula única, onde o eleitor assinalava o nome de seu candidato ao cargo executivo e ao Senado. Para o Legislativo estadual, câmara federal e dos vereadores e vereatrizes, como analfabeto não votava, bastava escrever o nome do elemento que recebia a preferência da futura vítima.

Aqui, em homenagem ao saudoso o irascível Lombardi, anunciaremos “Voto apurado… Leitor informado” A escolha das maravilhas de Campinas, sugerida nesta nossa conversa de terça-feira passada, revela formas curiosas de nossa gente admirar a sua cidade. Se quiser participar, mande seu voto para jequitis@uol.com.br. O resultado sai depois da escolha das ‘maravilhas’ do mundo: eleja entre nossos professores, médicos, cientistas, escritores, árvores, animais, artistas, escolas, universidades, museus, monumentos, entidades filantrópicas…

Segue uma amostra do que já chegou:

Colégio Culto à Ciência, o Guarani Futebol Clube, Mané Fala Ó, Gilda, Tirirum (vendia jornais no Botafogo nos anos 60; tinha um modo peculiar de gritar ‘Correio Popular!!!’ e morreu atropelado pelo Bonde 9, que ligava o bairro ao Centro), Migué (garçom do Giovanetti nos anos 60, também chamado de ‘Tocador de Violino’), Gray (também garçom daquela casa naquele tempo), Moleza (inventor do sanduíche, também daquela casa), Carlos Gomes (o famoso).

Veja a singela explicação para este voto: “Não conheço Campinas muito bem. Acabo sabendo mais sobre a cidade com sua crônicas. Mas vamos ao voto! Meu primeiro impulso foi votar em mim. Afinal, como boa campineira, meu ego e orgulho naturalmente exacerbados não me permitiram fuçar e buscar mais nenhum candidato nesse meu cérebro… Então, ponderei, e achei melhor dar uma chance a algum outro candidato mais humilde, que tenha menos chances de vencer, pois não seria de bom tom ganhar e não poder comparecer à premiação… Pegaria mal, sabe? É a entidade, S.O.S. Pequeninos. É digna de concorrer ao tão almejado título de ‘maravilha’.” (É de uma ‘gastróloga’ campineira que vive nas Alagoas.)

Amanhã, mais manifestações.

Pregado no poste: “Voto em político é nulo”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *