Use a abuse

O verbo “usar” é o mais usado na língua lusa. Está na publicidade, nos jornais, no rádio, na televisão, até entre os usuários da Internet.

“Usar” está em provérbios e ditos populares de uso comum. Afinal, “quem usa cuida”. Na hora do aperto, usa-se até banheiro de uso público. Aí, às vezes, é preciso para de ler o jornal para usá-lo. Triste fim de nosso trabalho diário de usar a informação para uso da população.

“Use e abuse do Mate Leão”, diz o anúncio do chá, mais usado quando o preço do café sobe. Na crise do petróleo, o governo alertava: “Sabendo usar não vai faltar.” Essa frase passou a fazer parte dos nossos “usos e costumes.”

É nas crises que o uso do usado entra em uso com mais intensidade. Proliferam as feiras de carros usados, móveis usados, roupas usadas – até tênis usados entram na festa dos brechós. Eu disse “tênis”.

Nas bulas de remédio, está lá: “modo de usar”. Na hora do fogo, é fogo! Você pega o extintor e o rótulo o alerta: “Não use em eletricidade”. Será que dá tempo de ler o aviso antes de “usar o jato de espuma contra a base do fogo”? Duvido. Não se esqueça da outra advertência: “Não use elevador em caso de incêndio”. Pelo menos um uso do verbo usar precisa cair em desuso, felizmente: “Empregados devem usar o elevador de serviço”.

Alguns usos são debatidos todos os dias. Na cidade é o “uso e ocupação do solo”. No campo, é o uso da terra e o usucapião. Mas o “uso indiscriminado” de medicamentos, de defensivos e agressivos mata o homem do mesmo jeito. Está sem dinheiro? Use o cartão de crédito. O mal-educado não diz que uma pessoa é idosa, mas que é “usada”. Entre nossos políticos e autoridades, é freqüente o uso de dinheiro público para uso próprio. É quando imposto vira mensalão. Como sempre, nos usam para seus interesses escusos – rima, mas não soluciona.

Quem não gosta dos americanos, diz que os USA nos USAm. Nas estradas, use farol baixo ao cruzar com outro veículo; use a faixa da esquerda para ultrapassar e os caminhões que usem a da direita para rodar. Na compra da casa própria, use o Fundo de Garantia.

No trânsito, não se esqueça, use o cinto de segurança. No fórum, use paletó e gravata. Mas minissaia e calças compridas, não. Calcinhas, sim.

Pregado no poste: “O uso do cachimbo faz a boca torta. E o uso da camisinha?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *