Touché!

Maluca essa tragédia de Hortolândia, na terça-feira que passou. Mais maluca ainda a coincidência que envolve aquela fatalidade entre dois homens e um ‘conto contado’ num sítio chamado “Amigos de Pelotas”, intitulado “Um duelo”. Ficção e realidade aconteceram no mesmo dia. De fato, eu procurava pelo Google algo que pudesse explicar as razões de um duelo, quando o primeiro item da pesquisa me convenceu de que os espíritas devem ter razão: coincidências não existem.

Para quem não soube nem leu, assim se deu, no relato do repórter Bernardo Medeiros: “Uma luta de espadas provocou a morte de um inspetor de alunos e deixou o seu companheiro gravemente ferido após uma discussão na casa em que moravam, na madrugada de hoje (13) em Hortolândia”

Bem que o final da história poderia ter sido o mesmo do final da estória. Senta, então, que lá vem a estória:

“Dois malhadores de academia avançavam, um contra o outro, a passos largos pelo calçadão. Eles não se conheciam, embora um fosse a imagem refletida do outro: cabeças raspadas como militares, pescoços de Mike Tyson, tatuagens de dragões e caveiras nos braços à mostra. Os músculos ressaltavam por causa das camisetas justas, coladas aos corpos. Eles não passaram despercebidos dos pedestres, que cederam espaço à passagem dos dois.

O que ninguém viu é que um duelo se avizinhava.

Há algum tempo, os dois homens evoluíam para o choque físico, resolvidos a não desviar do caminho. Qual abriria espaço para o outro? Qual otário baixaria os olhos, oblíquos, recolhendo-se à sua insignificância?

Os populares só se deram conta do que ocorria quando ouviram o baque frontal das cabeças dos dois. Um par de narizes quebrados, filetes de sangue nas bocas.

Os homens se encararam por um instante, sob a vigilância de um Policial Militar, que se aproximou. Levantaram-se, bateram as roupas para espantar o pó, e cada qual seguiu seu rumo.

Meses se passaram sem que a dupla fosse vista. Até que o colunista social anunciou à cidade: ‘Casaram-se no último final de semana, em cerimônia discreta, in London. E já estão pensando em adotar…’”

Foi-se o tempo em que Campinas seria lembrada para uma tragédia e um conto como esses.

Pregado poste: “Os dois eram espada em Hortolândia?”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *