Sexo escrito

Antes, duas preliminares:

  1. Foi pior. O Luís Carlos Vieira, ex-aluno do Culto à Ciência, conta direitinho como saiu a advertência que o diretor Telêmaco escreveu na caderneta dele, quando o Vieira foi flagrado tentando saltar o portão, após sair sem autorização: “Suspenso por um dia, por ter saído sem ter entrado”!
  2. “Corria o ano de 1.962. Um show estava programado para angariar fundos para a compra de instrumentos para a fanfarra do colégio. O ator Carlos Zara (ex-aluno) fazia uma visita à escola, a fim de promover o show com artistas da TV (Golias, Chocolate, Carlos Alberto de Nóbrega, Zilda Cardoso…) e conhecer os elementos da comissão organizadora, formada por alunos. Eu, Vetachi, Adalberto e outros resolvemos “matar” a aula de Matemática (dona Mirtes), mas fomos pegos pelo inspetor de alunos “Lauro”. Ele nos levou para a Diretoria a fim de sermos punidos. Dentro da sala, aguardávamos o diretor Telêmaco Paioli (Popof), quando tivemos uma grande surpresa. Fomos apresentados ao Carlos Zara como membros da comissão organizadora do show (os membros de verdade estavam sentados fora da sala da Diretoria). Tirei a caderneta escolar do bolso, solicitei o autógrafo do artista (assinou com caneta de tinta verde). Os outros colegas fizeram o mesmo. Tomamos café, fomos elogiados pelo empenho na venda dos ingressos, abraçados pelo artista e pelo diretor e saímos sorrateiramente da sala.” Não sei quem contou esse “causo”. Foi você, Treco?

Para encerrar: “Dona Amália tinha um livro de Ciências que, lá no fim, previa noções de educação sexual. Era a terceira série ginasial e um colega perguntou se aquela matéria seria dada naquele ano. Ela enrola, enrola e, finalmente, responde: ‘Está no programa, porém, vai depender de vocês e da maturidade da classe.’. Continua a aula e ela vai ensinando o aparelho auditivo. Lá pelas tantas, dona Amália descreve o ouvido humano e cita a ‘fosseta’ auricular. Pronto! Terminou ali qualquer chance de a turma ter educação sexual como matéria de Ciências da saudosa dona Amália. Paulo Renato F.Franco – turma de 67-70.”

Pregado no poste: “A festa continua dia 18, lá no colégio.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *