Será que ele muda de nome?

O ilustre pontepretano Geraldo Falchi Trinca Filho jura que, a partir de hoje, passará a se chamar Beto Zini Lorenseis Farah, registrado no cartório do doutor Carvalhaes, ali ao lado do Giovanetti II, segundo indicação dele.

Quando eu saí de Campinas, Giovanetti só o da General Osório, e ao lado dele ficava o Banco Mercantil. O Trinca ainda vai acordar com as feministas concentradas na porta de casa e, pior, com a Regina à frente da manifestação. Ele disse que se fossem publicadas neste espaço as coisas que, sempre de acordo com ele, só as mulheres conseguem, podem chamá-lo por um daqueles quatro nomes.

Regina, pode preparar o pau de macarrão, que lá vai a lista daquilo que só elas conseguem, segundo a experiência do Trinca:

  1. Passar a vida inteira lutando contra o próprio cabelo.
  2. Comprar uma blusa que não combina com mais nada, só porque o preço estava irresistível.
  3. Ser tratada feito idiota pelo mecânico na oficina.
  4. Fingir naturalidade durante um exame ginecológico.
  5. O poder de uma calça jeans, ou de um body de lycra, para rediagramar a estrutura do corpo.
  6. Ter crise conjugal, crise existencial, crise de identidade e crise de nervos!
  7. Ser mãe solteira, mãe casada, mãe separada, mãe do marido.
  8. Assistir a um videotape de futebol, só para fazer companhia ao gato!
  9. Lavar a calcinha no chuveiro. E depois pendurá-la na torneira, para horror do sexo masculino.
  10. Escutar passivamente que “mulher no volante, perigo constante”.
  11. Depilar a perna de 15 em 15 dias — com cera!
  12. Rasgar a meia na entrada da festa.
  13. Chorar no banheiro, se olhando no espelho para ver qual o melhor ângulo.
  14. Achar que o seu relacionamento acabou, e depois descobrir que era tudo tensão pré-menstrual.
  15. Nunca saber se é para dividir a conta, ou se é para ficar meiguinha.
  16. Ser chamada de tia por uns brotinhos bem gatinhos.
  17. Colocar uma cinta para disfarçar a barriga.
  18. Ficar completamente feliz, porque ele ligou.
  19. Dizer não, para ele insistir bastante, e aí ter que dizer sim! Sorrir gentilmente para o cliente enquanto uma cólica louca te rasga como se fosse uma bazuca…
  20. Dizer tudo o que pensam sem pensar em metade do que dizem.

Pregado no poste: “Mas o homem nasce, cresce, fica bobo e casa?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *