Seo Toninho e dona Maria

Seo Toninho foi longe demais. Processou dona Maria Lúcia Murback. Mas dona Maria também foi pra lá do Oziel ao acusar sem provas gentes que administram a cidade com seo Toninho. A carta dela para o Correio Popular é só um desabafo de quem, como o Brasil inteiro, está por aqui com os políticos. (E não é pra estar?).

O nepotismo, que também enfurece a dona Maria, não é crime, mas é uma das primeiras imoralidades combatidas pelo partido do nosso alcaide, desde que ele foi fundado (o partido, não o alcaide), há mais de vinte anos. Já dizia um vizinho de Adão e Eva, nada mais igual que a situação do que a oposição no poder. “Aves de mesma plumagem”, afirmam os diplomatas; “Farinha do mesmo saco”, confirmam os irreverentes.

Além do nepotismo, o que pegou no calo do prefeito (O senhor tem calo, seo Toninho? Gets It nele! Ou sapato mais largo.) foi a tal troca de favores. Na verdade, troca-troca (de favores) nem na administração pega bem. Dá impressão de que o prefeito barganha a coisa pública com a coisa dos outros. E sobre isso, parece, nossa dona Maria não tem prova, mas tem razão ao se aborrecer.

Por falar em diplomacia, o senhor poderia ter saído por cima nessa história. Depois de ler a carta, sem contar pra ninguém — secretária, chefe de gabinete, porteiro, faxineiro ou cordão de puxa-sacos — era só procurar a dona Maria. Na lista telefônica, convenhamos, o sobrenome Murback não é comum. Seria fácil localizá-la e propor uma conversa a dois – na casa dela, de preferência (Afinal, é o poder que deve procurar os cidadãos, para sentir-lhes as preocupações, certo?).

— Querida dona Maria, estou preocupado com aquilo que a senhora

escreveu sobre parentes, troca-troca, favores… O que a senhora sabe que eu não sei? Me conta, vai…

— Sei, não, seo Toninho; de repente a coisa espalha…

— Prometo que fica entre nós, se a senhora me ajudar a descobrir quem anda fazendo troca-troca de favores e nomeando parentes na administração. Mas por favor, me conte antes de acusar. Prometo, também, que puno os pilantras e assino uma carta com a senhora na seção dos Leitores do Correio. Combinados?

Prefeito, o senhor não imagina a propaganda boca-a-boca que a dona Maria faria dessa atenção que o senhor deveria ter dado a ela.

Pregado no poste: “Suplicy e Marta se separaram. Bom para o Lula.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *