Quem avisa…

Parece livro de humor, mas é um retrato da comunicação dos homens simples desse Brasil. Chega às melhores bancas e livrarias “O Brasil das Placas”, resultado de dois anos de trabalho “em lugares tão díspares quanto São Raimundo Nonato, no Piauí, Porto Nacional, Tocantins, e Rio de Janeiro.”. Obra de arte dos jornalistas José Eduardo Camargo, do Guia Quatro Rodas, que fotografou as ditas cujas, e André Fontenelle, de pseudônimo L. Soares, da revista Veja, que escreve com fino trato como a literatura de cordel trata o tema. Esmero e requinte: Crystian Cruz, diretor de arte da revista Placar, criou a tipografia “Brasilêro” para a escrita do Soares.

Algumas pérolas do livro, e outras recebidas de colaboradores no site do livro na grande rede – brasildasplacas.com.br

“Favor deixar a chave do carro na portaria quando estiver atrás do outro”

“Neste local está exposto o 1º e único robô projetado e construído no Brasil que pedala bicicleta” (Contribuição do campineiro Sérgio Ynemine)

“Amanhã eu faço”

“Atenção: não nos responsabilizamos por veículos aqui estacionados por perdas e danos”

“Lanchonete 2 irmões”

“Borracharia Chega Mais do Negão”

“É proibido pessoas estranhas nadar na represa”

“Com Deus e o povo Edivar dinovo”

O Adauto Marin Molk, aqui do Cosmo, também tem sugestões:

“Carreful Alimentos”

“Obaras: é favor não estacionar em ferente au portão”

“Fexe o pertão fas favor”

“Auta mecanica disel aqui. Cruzeiro do Norte do Gordo. Cerviso de tratoris em geral. Motagem de motoris. Asistencia tenica. Tendi nas fazendas. Reforma de coledeira e plementos”

Plano de assistência funeral: “Nossos clientes nunca voltaram para reclamar”.

O dono do posto se encheu: em vez de usarem os banheiros, os motoristas… E pôs o aviso enorme no meio do jardim: “É proibido (c…) nessa área bando de f. da p. sem costume”

“Aqui o melhor é quando o gramado fica encharcado. No mês da Copa, 30% de desconto para universitários. Uma promoção para você entrar de bola e tudo”

Casal na cama e a mensagem da lavanderia: “Deixe a roupa suja que a gente lava. Sobra mais tempo para você fazer outra coisa”

Foto da orelha de uma loira e… “As orelhinhas mais gostosas estão na feijoada da Zug”

E algumas da memória deste locutor que vos escreve:

“Se seu namorado não faz Direito, eu faço”

“Não pise na grama. Se não souber ler, pergunte ao guarda”

“Homens trabalhando” (No Brasil do desemprego, quando acontece, põem placa alertando.)

Quase na fronteira argentina: “Quem obedece a sinalização evita Perón”

“Cuidado com o cachorro – não pise nele”

“Entre sem bater” (Barão de Itararé, depois de espancado.)

Numa praça de touros, na Espanha: “A tourada é um espetáculo de arte. Pede-se aos aficionados brasileiros não aplaudir o touro nem vaiar o toureiro”

Pregado no poste (na porta da barbearia): “Corto cabelo e pinto”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *