Primeira vez – 2

Este ‘bate-papo’ ainda vira folhetim. Em todo caso, ‘vamo nóis’. Ontem, a Regina Trinca mandou o relato da primeira aula de Inglês da lendária Miss Clark, em Araras. A mestra também contou o seguinte: “Depois de Araras, já concursada, escolhi São Simão, perto de Ribeirão Preto (por ter trem da Mogiana e eu tinha passe livre, porque meu pai fora engenheiro dessa estrada de ferro). No ano seguinte, por remoção, escolhi Dois Córregos, onde fiquei de1952 a 1953, quando fui para Salto, até l962, daí para Vinhedo até 1972, e, finalmente, para o Victor Meireles, até me aposentar, em dezembro de l981.

Agora, entra a lembrança do ex-aluno da “La” Clark, de 1972. Diga Caruso:

“Lembro-me de que quando ela viajou a Munique, para assistir à Olimpíada, a competição foi organizada pelos alemães para celebrar a paz, mas  acabou conhecida como “Olimpíada do Massacre” ou “Massacre de Munique.”.

Mas… Para realizar essa viagem, a Miss Clark colocou em seu lugar uma substituta, loirinha, baixinha, muito bonitinha… (Falando baixo, para que ninguém nos ouça, naqueles tempos, as saias das meninas eram, se não me engano, quatro dedos abaixo dos joelhos. Quando subia um pouco, para nós, meninos, era uma festa!).

Só porque a nova professora era baixinha, eu, combinado com Rodolfo & Cia., simulei uma dúvida ou uma tradução do Português para o Inglês. Escrevi na lousa, numa altura que não seria normal para ela, e ela, no intuito de responder à pergunta, ficou na ponta dos pés, se esticando como pode. Aí… A saia dela subiu um pouco além da conta… Foi um alvoroço, pois nós, meninos, conseguimos o que queríamos…

Quando ela percebeu nossa intenção, ficou coradíssima, de tão envergonhada.

Na volta da Alemanha, Miss Clark perguntou para aquela substituta loirinha, baixinha e muito bonitinha como os alunos se comportaram. Ela contou o ocorrido… Quando a titular absoluta da cadeira de Inglês entrou na nossa sala de aulas, disse:

— Muito bem sr. Caruso! Quer dizer que para aprender Inglês, é preciso que se escreva bem no alto da lousa?

Até hoje, quando encontro a Miss, ela relembra essa minha & Cia. travessura.”

Caro Caruso (Caro Caruso é bom, né?). Tive uma namorada que foi aluna dessa loirinha, baixinha e muito bonitinha. E ela me contou que essa mestra tinha outra “mania”, tão “mania’, que nem percebia: por cima da saia, ficava esticando o elástico da calcinha. Todos riam, mas fingir pena dela não precisava…

Pregado no poste: “Era bom ser aluno”

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *