Prezado Romeu,

Sei como você deve estar se sentindo. Há momentos de náusea passar por essa experiência. Principalmente quando nos lembramos de um grande amigo, e mestre, comum: Mário Erbolato. Foi, antes de tudo, um profeta:
— Como vai a legislatura, doutor Mário?
— Pior do que a passada, mas muito melhor do que a próxima…
É certo e bom que na democracia, todo Legislativo represente todos, absolutamente todos, os segmentos da sociedade. Mas não é preciso exagerar – ou precisa de representantes da escória também? Você acha que esse é o caso da casa que você preside? Se for, por misericórdia, haja já: casse ou cace. Quem custa mais de R$ 1 milhão por ano para o povo não pode nem merece dizer que representa o povo.
Dia desses, reli o livro “Câmara em Foco”, do nosso José Pedro Martins, que conta histórias e casos da casa que você preside. Seu nome está lá, caro Romeu, em várias páginas. Só para deixá-lo com saudade – e os leitores, com pena e espantados diante do que vêem hoje – vou rememorar alguns colegas ilustres que você teve. E a cidade tinha de quem se orgulhar. Não adianta nem comparar, Romeu. O jeito é chorar. Já imaqino você dizendo: “Quem te viu, quem te vê.”. Vamos lá?
Alfredo Gomes Júlio, Carlos Hossri, José Nicolau Ludgero Mazelli, Laerte de Moraes, Luiz Rafael Lot, Ruy de Paula Leite, Ayrton José do Couto, Honório Chiminazzo, Fernando Paolieri, José Theóphilo Albejante, José Nassif Mokarzel, Alcindo Ferreira da Silva, Amaury Frattini, Anatole Brasil Noronha Sales, Sérgio Salvucci, José Fernando Lazzarini…
É inacreditável, mas por essa mesma Câmara também passaram, entre outros, José Paulino Nogueira, José de Souza Campos, Antônio Pompeu de Camargo, Bernardo José de Sampaio, Cândido Gomide, Júlio de Mesquita, Ricardo Gumbleton Daunt, Joaquim Egydio de Souza Aranha, Antônio Lobo, Antônio Carlos do Amaral Lapa, Tomás Alves, Orosimbo Maia, Ângelo Simões, Alberto Sarmento, Álvaro Ribeiro, Sylvino de Godoy, Rafael Duarte, Heitor Penteado, Pedro Anderson, Paulo Decourt, Aníbal Freitas, Adalberto Maia, Armando Rocha Brito, Benedito da Cunha Campos, Ernesto Kuhlmannn, Horácio Antônio da Costa, José Pires Neto, Penido Burnier, Francisco Ribeiro Sampaio, João Lech Jr., Nelson Omegna, Sílvia Simões Magro, Miguel Cury…
Imagine como será a próxima. Romeu do céu!
Pregado no poste: “Crime político ou política criminosa?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *