Por linhas certas

Agora, eu quero ver. Todos dizem que Deus escreve certo por linhas tortas. Só que, desta vez, quem chegou ao Céu foi o mestre Eduardo Abramides. Sem avisar, ontem pela manhã. Figura singular de campineiro nascido e criado em Piracicaba, mas uma das mais perfeitas traduções do cidadão desta “Capital da Gentileza”. Tanto que logo que aportou por aqui, para enriquecer o Instituto Agronômico com suas pesquisas, já foi trocando o “Nhô Quim” pelo Guarani. Tanto fez por esta terra, que se tornou seu cidadão, por lei aprovada na Câmara.

Educado, alegre, culto, brincalhão, cientista, marido, pai e avô, mas, sempre, professor. Professor é o que sabe ensinar. E, sou testemunha como muitos jornalistas de Campinas, ele não conseguia ficar sem ensinar. Longe ou perto, onde quer que estivéssemos, recebíamos seus ensinamentos, por telefone, fax, e-mail e cartas. Recebi mais de cem lições em quase oito anos de “aula”, com erros assinalados em crônicas e reportagens. Não era daqueles chatos, que têm prazer em encontrar erros. Sua satisfação era poder ensinar, sempre com exemplos.

Ele fundou o primeiro cursinho pré-vestibular de Campinas, o “Anchieta”, na Avenida Anchieta, que abriu caminho para muita gente boa chegar à universidade – entre eles para o ex-prefeito Roberto Magalhães Teixeira alcançar a Odontologia da Puccamp.

Brincava comigo: “Como vai Ribeirão Preto, a Capital da Cultura… da cana”? E eu rebatia com um apelido que enfurece os piracicabanos até hoje: “Aqui se corta cana com máquina; em Piracicaba, com o povo, o cortador de cana.”.

Ele e dona Dirce tiveram as filhas Beatriz e Dirce e os filhos Cláudio e Fernando, que lhes deram oito netos.

Há três meses o nosso Eduardo Abrmides elegeu-se presidente do Vigésimo Oitavo Quarteirão de Amigos, entidade nacional de apoio à comunidade. Estava só treinando, porque agora, vai presidir um Céu de Amigos. E sempre que Deus escrever certo por linhas tortas, também vai receber uma cartinha: “Esta é a primeira carta que escrevo para o Senhor. O texto está corretíssimo, mas as linhas… Posso endireitá-las?”

Pregado no poste: “Hoje é Dia de Campo no Céu. E Deus está em boa companhia”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *