Passa!

Vixe! O xingamento mais suave foi “Desalmado!”. Tudo porque, dia desses, preguei no poste a seguinte proposta: “Pitebul? Rotevailer? Trinta anos para o cachorro e perpétua para o dono!”. Amor pela mulher amada, pela mãe, avó, pai, filhos, filhas, amantes, até por time de futebol, se explica neste Brasil. Mas o que o bicho homem sente pelo bicho cachorro, só Deus. Nem Freud (se bem que existe a velhíssima historia de uma madame da Júlio Mesquita que… Deixe pra lá.).

Se alguém atropelar uma pessoa e socorrer, está tudo resolvido (e perdoado!). Mas se você atropelar um cachorro, fuja, se não, será linchado. Qualquer bicheiro confirma: cachorro é o bicho mais jogado. Deve ser o mais sonhado, também. Mas se sonhar com pitebul ou rotevailer, pode jogar no burro que dá.

São os cachorros mais burros do mundo. Sempre engrossam o noticiário policial, dão trabalho para o Bargas Filho, porque assassinam crianças, idosos, carteiros, domésticas, entregadores de pizza, tintureiros, os donos, outros cachorros, os filhos dos donos, seus vizinhos. Só gente de bem. É incrível, mas eu nunca soube que um desses homicidas tenha matado um ladrão – atacado pelo menos.

Pensando bem, se eles não atacam bandidos, devem ser cúmplices. Isso é espírito de corpo (e de porco). Como se sabe, gambá cheira gambá.

O pessoal se revoltou com a pena máxima proposta aos coitadinhos. O primeiro apelo foi em favor do “melhor amigo do homem”. Essa é cínica. Pergunte às vítimas, se elas têm no pitebul que tentou matá-la o melhor amigo. Outro argumento manjado é aquele de que não existe cão assassino, apenas mal treinado. Então a culpa pelo crime de morte é do treinador? (Até entre cachorros o culpado é sempre o técnico…).

Ameaçam me processar por instigar a população contra os cães – mais ou menos como fizeram com o Cecílio Elias Neto por causa dos gatos. (Falar nisso, pararam de matar gatos na Lagoa do Taquaral? Quem são os assassinos, gente que faz churrasco de carne de gato ou pitebuls e rotevailers?). Um ameaça com a mesma pena: perpétua. Aí, não vale. Não tenho cachorro. Ou serei preso por ter e por não ter? Outro diz que sonha me ver atacado por sua rotevailer. “No cio, de preferência”, ele requinta. Qual é a diferença, se nem modess ele compra para sua companheira?

Tanta fúria me deixa uma dúvida, que psicólogos (de gente, não de cães) podem tirar: “O que leva pitebuls e rotevalers a criarem donos tão agressivos?”.

Pregado no poste: “Lula, a inflação voltou?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *