Parabéns pelos 55, brava turma de 54!

Cada turma com sua piada ou fato marcante da passagem de cada um pelo colégio Culto à Ciência. Hoje, se reúne a turma de 1954, para almoçar na casa do João Carlos Rocha, Rua Elza Pompeu de Toledo, 33. A Estella Cruvinel contou que no encontro do pessoal de 1959, o doutor Totó Galvão contou a história de veteranos que cobravam dos calouros a experiência que tiveram com a Berkel. “Mas como!? Você não trepou na Berkel!?”. E toca a procurar a “casa” da Berkel pela cidade. Até que alguém entregou: a casa ficava na Treze de Maio com a Glicério. Era a Drogasil — e “Berkel” era só a marca da balança… (Não pensei que essa história fosse tão antiga.)

Agora, o Ademar Strachman lembra-se de que o episódio mais importante vivido pelos ex-alunos de 1954 aconteceu numa tarde de sábado, quando as meninas pediram dispensa das aulas para ir ao cabeleireiro e ficarem belas para um baile de formatura naquela noite. Não é que dona Celina Duarte deixou? (Beijo, querida!). Os meninos foram pedir dispensa também, mas não conseguiram. Em protesto, fugiram para nadar na Fonte São Paulo. Mas nosso diretor, o doutor Telêmaco, como sempre, saía para caçar “gazeteiros”, assim chamados os que enforcavam as aulas. Foram pegos ainda na Rua Falcão Filho. Cada um teve anotado na caderneta o aviso para os pais: “Suspenso três dias, porque saiu sem ter entrado.”. Euclides Pinto “Sentados!” da Rocha, diretor anterior ao seo Telêmaco, pegou um aluno sem gravata e sapecou: “Suspenso três dias por se apresentar despido.’. Juro por Deus!

Veja quem já confirmou que estará lá hoje: Ademar Strachman, Alfredo Mário Tamiso, Antônio Galvão Fortuna Rosa, Carlos Siviero, Cleusa Garbo, Dirce Amendola, Gilberto Serra, João Carlos Rocha, Alfredo dos Reis Neto, José Luiz Bicalho, Mariza T. Mendes, Roberto Abib, Oswaldo Adib Abib, Rosa Broner, Waldir Gregolin, Wladimir Righeto, Lucinha Bicudo, Adalberto Piovesani, Adolfo Eurico Selmi, Erb Lente Cruz, Eugênio Sampaio, João Carlos Pimenta, Wilmar Serra, Cecilia Zink e você, que se formou em 1954 e não sabia da festa. Alguns mestres de que eles se lembram (ninguém se esquece dos professores daquele templo): Sampaio, Inácio Landell, Stucchi, Moacyr Santos Campos, Braga, Stella, Ancilla Banwart, Pimentel, Basílio, Maria Afonso Ferreira e os inspetores de alunos: Cardamone, Carpino, Celina Mesquita e Angelina, mais o zelador, seo Otacílio.

Pregado no poste: “Tomara que daqui a 55 anos, os formandos de hoje tenham do que se lembrar”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *