O nazismo estava certo

(De como o Fusca ajudou a combater o vício do cigarro na Alemanha de Hitler ou ajudou o brasileiro a ser machista, quando o feminismo ainda engatinhava.)

Se naquele tempo a opinião da mulher tivesse vez no mercado, o carrinho mais popular da Volkswagen não teria tão longa vida. Veja o que diz o texto de um velho anúncio dirigido aos maridos, sob a foto de um Fusca com o pára-lama esquerdo amassado e o farol quebrado:

“Esta é uma das razões para você possuir um Volkswagen.

Mais cedo ou mais tarde, sua esposa vai dirigir. Caso ela venha a bater em algo com o seu Volkswagen, isto não lhe custará muito.  Peças de Volkswagen são fáceis de trocar. E baratas. A maioria das peças VW também são intercambiáveis. Dentro e fora. Isso quer dizer que sua esposa não está limitada a amassar  apenas o pára-lama. Ela pode amassar o capô, arranhar a porta. Ou soltar o pára-choque. Isso pode deixar você furioso, mas não deixará você pobre. Então, quando sua esposa for fazer compras num shopping em um Volkswagen, não se preocupe. Você pode facilmente trocar tudo o que usar para ‘parar’ o carro. Inclusive os freios.”.

Elas acabaram com o Maverick decretando que ele se parecia com uma garrafa de Coca-cola. Era um carrão. Elas, também, alijaram o arejado Fusca de teto solar: “Carro de chifrudo!”. Por isso, quando fui comprar um carro na General Motors, o vice-presidente da fábrica, André Beer, foi direto:

— É você quem vai dirigir?

— Eu, seo André!? Não sei nem onde fica o volante…

— Então mande sua mulher aqui, porque se ela não gostar da cor ou do estofamento, você vai ouvir pro resto da vida!

Mas os anúncios da Volkswagen, feitos pela agência Alcântara Machado, eram os melhores. Houve um, criado pelo Chico Anysio, definitivo: “Vox Populi, Voxwagen”. É assim até hoje.

E não é que o mesmo besouro conseguiu o milagre de provocar uma atitude politicamente correta dos nazistas? Muito antes de José Serra, Adolfo Hitler foi o primeiro a lançar propaganda contra o cigarro. Dizia: “Ataque os vícios em vez de reclamar de seus fardos. O uso de tabaco custa ao povo alemão 2,35 bilhões de marcos anualmente, suficientes para fabricar dois milhões de Fuscas ou gasolina para dirigir 50 bilhões de quilômetros (não milhões, prestem atenção!). Precisamos racionar a economia do nosso povo.”

(Sobre a fumaceira de milhares de fumantes, um Fusca se dissipa no ar.). Hoje, o tráfico vale quantos litros de combustível? Se as montadoras ajudarem a combater as drogas, a venda de carros crescerá!

Pregado no poste: “Quantos litros de gasolina um viciado ‘cheira’ por ano?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *