O Guarani ganhou!

O Dicionário Houaiss chama ‘helicóptero’ de “aparelho de aviação projetado para elevar-se verticalmente, sustentar-se no ar e deslocar-se por meio do giro de hélices horizontais; tem amplo uso militar”. Os caipiras chamam de “avião-de-rosca” e todo mundo entende.

O Rubens Gonzaga de Campos Leite descobriu as cores do uniforme do Esporte Clube Mojiana. Mas a revelação fica para amanhã, porque, junto, ele mandou um prato delicioso, o sítio “distintivos.com.br” — uma viagem ao mundo do futebol mundial. Obra-prima da dedicação à história do esporte do Luiz Fernando Bindi. Creio que muita gente conheça. E o nosso Mojiana está lá, entre mais de 25 mil clubes de todos os continentes. Bela viagem, nomes curiosíssimos, como o suspeitíssimo “Só o Pó”, de São Paulo, o incrível “Alquimia da Serra”, de Petrópolis, e o irônico “Yesnostemoscamisas”, de Jundiaí, mas fundado em 1904! Muito antes de Carmen Miranda cantar “Yes, nós temos banana”, ironia de Braguinha aos EUA, em 1937.

Estão relacionados dois Campinas, o nosso e o de Goiânia, e até uma Campineira, também goianiense. No Brasil, há 13 “Pontes Pretas”, e na Itália, uma Ponte’98, de Benevento – o distintivo parece um ovo vermelho e amarelo.

“Pontes” estão espalhadas por Sumaré (azul, amarelo e vermelho); Jacareí e Bauru (vermelho, veja se pode!), em São Paulo; Rio Largo, Alagoas; Belém do Pará; Poxoréu, Mato Grosso; Jóia, Novo Hamburgo e Canoas, Rio Grande do Sul (em vez de macaca, o símbolo parece um jacaré sorridente); e as “Pontes” de Tubarão e Joinville, Santa Catarina.

São 55 Guaranis! Pra lá da fronteira, são dois na Argentina, um no Uruguai e outro no Paraguai. No Brasil, existe Guarani em Rio Branco, Acre; Imperatriz, Maranhão: Macapá, Amapá; Maceió, Alagoas; Belém do Pará; Porto da Folha, Sergipe: Teresinha, Piauí; Volta Redonda, Rio de Janeiro; são dois em Juazeiro do Norte e um em Sobral, Ceará!; Adamantina, Sumaré, Salto e Campinas, São Paulo; Arapoti e Ponta Grossa, Paraná; São José do Norte, São Leopoldo, Sapiranga, Parobé, Sananduva, Passo Fundo, Uruguaiana, Venâncio Aires, Viamão, Arroio dos Ratos, Bagé, Cachoeira do Sul, Camaquã, Cruz Alta, Espumoso, Novo Hamburgo, Itaqui, Garibaldi e Alegrete, Rio Grande do Sul; Pouso alegre, Divinópolis e Conselheiro Lafaiete, Minas Gerais; Salvador, Bahia; Palhoça tem dois!; Sertão de Baixo/Criciúma, Florianópolis, São Miguel d’Oeste, Itajaí, Xaxim e Imbituba, Santa Catarina. Na cidade de São Paulo, há o Guarani do Brás e do Jardim Peri.

Pregado no poste: “São mais Guaranis do que Flamengos, Corinthians e Palmeiras!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *