O crioulo voltou

“Foi em Diamantina / Onde nasceu JK / Que a princesa Leopoldina / Arresolveu se casar / Mas Chica da Silva / Tinha outros pretendentes / E obrigou a princesa / A se casar / Com Tiradentes… / Lá! Iá! Lá Iá! Lá Iá! / O bode que deu / Vou te contar…

Joaquim José / Que também é / Da Silva Xavier / Queria ser dono do mundo / E se elegeu Pedro II / Das estradas de Minas / Seguiu prá São Paulo / E falou com Anchieta / O vigário dos índios / Aliou-se a Dom Pedro / E acabou com a falseta / Da união deles dois / Ficou resolvida a questão / E foi proclamada / A escravidão / E foi proclamada / A escravidão…

Assim se conta / Essa história / Que é dos dois / A maior glória / A Leopoldina virou trem / E Dom Pedro / É uma estação também… / Oh Oh! Oh Oh Oh Oh! / O trem tá atrasado / Ou já passou…”

Ninguém retrata melhor a alma brasileira do que um de seus mais talentosos e sensíveis observadores, Sérgio Porto, a quem a Macaca deve sua melhor homenagem, desde que ele adotou o pseudônimo de Stanislaw Ponte Preta. Um gênio. Sem trocadilho, a encarnação da nação.

O brasileiro não muda, só as “otoridades” mudam – para pior. Dia desses, o Jornal Nacional quase me mata de rir. Creio que a Fátima e o Bonner deixaram “o sobrinho de Tia Zulmira” editar o bloco da viagem do Ernesto Paglia ao Maranhão. E o “Febeapá – Festival de Besteiras que Assola o País – foi para o ar. Direto do Maranhão, vimos, ouvimos e rimos.

Uma entrevistada entregou: “Tem bumba meu boi, tem quadrilhas…” Finalmente, saiu no Jornal Nacional, com todas as letras, que na terra dos Sarneys, há quadrilhas!

Veja esta pérola da nova versão do “Samba do Crioulo Doido”: “O Ministério Público Estadual exige na Justiça que os criadores cerquem os búfalos, trazidos da África na década de 60…” Meu Deus! Sabe o que acontece com uma manada de búfalos cercada? Não sobrará Sarney para contar a história. É o mesmo que pedir à Justiça que mande um cachorro parar de latir ou obrigue um corintiano a jurar que é palmeirense.

Esta foi a cereja do bolo: “Pesados, capazes de comer quase tudo que encontram, os búfalos são acusados de prejudicar o meio ambiente…” Será que um promotor moverá uma ação contra os búfalos? A paranóia dos ecochatos chegou ao ponto de acusar um búfalo de prejudicar o meio ambiente.

Se Campinas for sorteada, dirão que Carlos Gomes era bugrino e levou o Guarani para jogar no Scalla, de Milão, usando camisa Verdi.

Pregado no poste: “Que ninguém o gatilho puxe o gatilho”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *