Neurônios de Adão

 

E essa agora? Os homens têm quatro bilhões de neurônios a mais do que as mulheres? Em primeiro lugar, que dinamarquês é esse que contou um por um para garantir a diferença? A novidade veio lá da Dinamarca: os homens têm 23 bilhões de neurônios e elas, 19 bilhões. A notícia ganhou as ruas e começou a chuva de piadas. Os indivíduos são mais inteligentes do que as indivíduas, só porque abrigam mais neurônios nos cérebros. Juntaram essa história com a de que a massa cinzenta dos filhos do Adão pesa 20% mais do que a das filhas da Eva e, agora, ninguém segura.

Nessa guerra dos sexos, mais velha que a mais velha das profissões, quando um parte para ofender a outra, sempre se esquece de que, antes de tudo, são filhos. “O homem é mais inteligente do que a mulher”, anuncia o machista. Então, a senhora mãe dele é mais burra do que todos os homens? E se a mulher acredita que a verdade é outra, trata-se, então, da filha de um burro? Quando nascem os filhos, a mulher, que se julga superior e acredita nessa bobagem, deve lamentar: “Meu Deus, sou mãe de um burrinho! Não chega ter me casado com um jumento?” Se ela profundar mais a cisma, descobrirá que não passa de uma égua e sua filha será uma mula…

Acreditar nisso é uma burrada. Já ouvi muita besteira sobre essas diferenças. Um desembargador de um tribunal de justiça, falando sério para justificar porque as mulheres são mais reprovadas do que os homens nos concursos para juízes e juízas, me fez engolir o seguinte disparate: “A mulher é falsa. Eu comparo o retrato da ficha de inscrição com as roupas com que elas aparecem para o exame. Nas fotografias, estão todas maquiadas, com colar, brincos, cheias de enfeites. Aqui, parecem monjas. Quando percebo essa artimanha, não perdôo: reprovo”. No Brasil, esse é (pelo menos, era) um dos critérios para se chegar à Magistratura!

Depois, entrevistando um promotor, ele me contava do ardil para compor um corpo de jurados. “Como o promotor quer condenar o réu, ele escolhe mulheres e veta o maior número possível de homens. Sabe por quê? A mulher é mais fria e cruel que o homem. Jurados e juradas com formação em ciências exatas, então, melhor ainda. Uma mulher professora de matemática no júri é um prato cheio para o promotor. Condenação na certa”. Pior: um advogado me confirmou que a tática é essa mesmo!

Outra do tal desembargador: “Se a candidata é casada com jornalista, eu não deixo passar. Ela vai levar para a cama segredos de Justiça e o marido pode publicá-los. Também não gosto muito de candidata casada com promotor. Representante da magistratura não pode ser subserviente a um membro do Ministério Público”.

Olha que essas conversas todas não têm mais de dez anos.

Numa roda em que se discutiam essas diferenças, uma jovem carioca, casada com um oficial da FAB, mandou ver: “Gosto de homem, eles são tão inteligentes quanto as mulheres. É sempre bom ter alguém para trocar o pneu do carro, abrir o vidro de maionese e empurrar o carinho no supermercado”. Um rapaz se ofendeu: “Só para isso que nós servimos? A mulher é só um clone do homem; afinal Eva foi clone de Adão”. Ela rebateu: “Deus fez Adão como rascunho; a mulher é Sua obra-prima”.

Não agüentei: “Um grande mestre jamais precisa fazer rascunho”.

PS: Dadá “maravilha”, depois da sua lamentável entrevista no “Correio Popular Revista”, há garotos desmaiando antes de entrar em campo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *