“Não…”

Cientistas políticos dizem que a Constituição dos Estados Unidos só tem 17 artigos porque foi feita pela sociedade para vigiar os políticos, enquanto a do Brasil é aquele “romance”, porque foi feita pelos políticos para se proteger da sociedade. A Carta do doutor Ulysses é a “bíblia” da impunidade e o maior labirinto do mundo para se chegar aos bandidos. Por isso, tantos estão soltos e outros tantos debocham da sociedade e ficam presos por tão pouco tempo. Tem sua lógica.

Domingo, o nosso “Correio” publicou na primeira página a foto da campineirinha Heloísa Roberta A. Silva, 17 anos, exibindo, orgulhosa, seu título de eleitora, no cartório eleitoral. Atrás dela, um cartaz prega “Os dez mandamentos para melhorar o País” – seriam maravilhosos:

  1. Não deixe de votar.
  2. Não vote contrariando sua opinião.
  3. Não vote para contentar amigos.
  4. Não vote para contentar parentes.
  5. Não venda o seu voto.
  6. Não troque seu voto por favores.
  7. Não vote sem conhecer o programa do candidato.
  8. Não vote sem conhecer o passado do candidato.
  9. Não vote sem conhecer o caráter do candidato.
  10. Não deixe nenhuma pesquisa mudar o seu voto.

Esses mandamentos seriam maravilhosos, mesmo, se em vez de se aplicar apenas aos eleitores, fossem dirigidos exclusivamente aos eleitos. Eles é que precisam cumprir com rigor aqueles mandamentos, principalmente do primeiro ao sexto, deixando os do sétimo ao décimo para o eleitorado.

Observe bem:

  1. Não deixe de votar: quantos não fogem dos plenários, na hora da votação, para defender interesses escusos?
  2. Não vote contrariando sua opinião: contrariam a vontade do eleitor, alegando que têm de obedecer à “disciplina partidária”.
  3. Não vote para contentar amigos: precisa comentar?
  4. Não vote para contentar parentes: também precisa?
  5. Não venda o seu voto: quá, quá, quá…
  6. Não troque o seu voto por favores: quá, quá, quá… também.

Pregado no poste: “Faça o que eles mandam, mas não o que eles fazem.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *