Inimigos, pero no para siempre

A médica radiologista chilena, da ilha de Chiloé, Glória Pamela Cardenas mandou para a médica radiologista campineira Célia Bastos Windhorst uma história de solidariedade que, creio, poucos devem conhecer. É impressionante. Envolve duas figuras conhecidíssimas do mundo das artes, os tenores Plácido Domingo e José Carreras. Vamos ouvir a Glória, via Célia:

“Possivelmente, você já ouviu ao menos falar sobre os três tenores. O italiano Luciano Pavarotti e os espanhóis, Plácido Domingo e José Carreras. É possível, mesmo, que os tenha assistido pela TV, abrilhantando eventos como a Copa do Mundo. O que talvez você não saiba é que Plácido Domingo é madrileno e José Carreras, catalão. E há uma grande rivalidade entre madrilenos e catalães.

Plácido e Carreras não fugiram à regra. Em 1984, por questões políticas, tornaram-se inimigos. Sempre muito requisitados em todo o mundo, ambos faziam constar em seus contratos que só se apresentariam se o desafeto não fosse convidado. Em 1987, Carreras ganhou um inimigo mais implacável do que Plácido Domingo. Foi surpreendido por um terrível diagnóstico de leucemia. Submeteu-se a vários tratamentos, como auto-transplante de medula óssea e trocas de sangue. Por isso, era obrigado a viajar mensalmente aos Estados Unidos. Claro que sem condições para trabalhar, e com o alto custo das viagens e do tratamento, logo sua razoável fortuna acabou.

Sem condições financeiras para prosseguir o tratamento, Carreras tomou conhecimento de uma instituição em Madrid, denominada Fundación Hermosa, criada com a finalidade única de apoiar a recuperação de leucêmicos. Graças ao apoio dessa fundação, ele venceu a doença. E voltou a cantar. Tornando a receber altos cachês, tratou de se associar à fundação. Foi então que, lendo os estatutos, descobriu que o fundador, maior colaborador e presidente era Plácido Domingo. Mais do que isso: descobriu que a fundação fôra criada, em princípio, para atender a ele, Carreras. E que Plácido se mantinha no anonimato, para não o constranger por ter que aceitar auxílio
de um inimigo.

Momento extraordinário, e muito comovente, aconteceu durante uma apresentação de Plácido, em Madrid. De forma imprevista, Carreras interrompeu o evento e se ajoelhou a seus pés. Pediu desculpas. Depois, publicamente, agradeceu o benefício de seu restabelecimento. Mais tarde, quando concedia uma entrevista na capital espanhola, uma repórter perguntou a Plácido Domingo por que ele criara a Fundación Hermosa. Afinal, além de beneficiar um inimigo, ele concedera a oportunidade de reviver a um dos poucos artistas que poderiam lhe fazer alguma concorrência. A resposta de Plácido Domingo foi curta e definitiva: ‘Porque uma voz como essa não se podia perder.’.

Fazer o bem sem ostentação é grande mérito. Ainda mais meritório é ocultar a mão que dá. Constitui marca de grande superioridade moral. Não saber a mão esquerda o que dá a mão direita é uma imagem que caracteriza admiravelmente esse tipo de benefício. Quando, aos demais, o benefício tem por objetivo maior atender um eventual desafeto, torna-se ainda mais meritório. Que essa história não caia no esquecimento. E, tanto quanto possível, nos sirva de inspiração e exemplo.”

Sem contar os santos, aqui perto se deu fato semelhante. Um produtor rural, médico, era atacado por um ativista radical num programa de rádio, apenas pelo fato de ser produtor rural. Como sempre acontece, radicais não têm lucidez e costumam ser ignorantes. A “peça” ignorava que sua ‘vítima’ da hora era um médico. E tome ofensas: “Você, produtor rural? Com essas mãos lisas? Você é um daqueles exploradores dos camponeses, patrão que visa o lucro tirado do suor alheio…”. Ouviu da esposa do produtor rural o que não esperava: “Não fossem essas mãos lisas, hoje você estaria numa cadeira de rodas ou morto. Certa madrugada, o administrador da nossa propriedade tirou meu marido da cama para acudir alguém que tentou invadi-la e foi atropelado na estrada. Fraturas múltiplas. Ele o encontrou já na emergência do hospital. Agora, ele se encontra de novo com você, são e salvo, a ofendê-lo. E só agora você descobriu quem salvou sua vida, com a ajuda de Deus.”. E de graça.

Pregado no poste: “Radicais são revoltados porque querem distribuir riquezas, mas não sabem criá-las”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *