Inculta e bela, apesar de nós

O Roberto Zammataro, da Propesquisa, me mandou uma coleção de placas que enriquecem aquela do interessante e necessário livro do cordelista L. Soares e do fotógrafo José Eduardo Camargo “O Brasil das placas”. A pesquisa é prova definitiva contra todos os políticos que assassinaram o ensino no País. O ensino e tudo o mais.

Ainda semana passada, num concurso de televisão, o apresentador Raul Gil desafiava os participantes a dizer coisas que existem nas ruas e começam com a letra “C”. Entre os competidores, uma cantora (?), badalada pelo Faustão, “que além de roqueira, fez curso de Letras na Universidade Federal do Rio Grande do Sul”. De fato, na entrevista com o Fausto, ela demonstrou um vocabulário acima da média da indigência que aparece na TV. Mas na hora de citar algo que aparece nas ruas e que começa com a letra “C”, ela disparou: “Semáforo”!

Quando a MTV era melhorzinha, a inteligente Cris Niklas trabalhava lá, em uma gincana, ela perguntou qual a maior ponte do Brasil. Até deu alternativas: Amizade, Rio-Niterói, Ponte Preta e Safena. Uma coitada respondeu que a maior ponte do País é a de safena! (Se tivesse dito “Ponte Preta”, seria presenteada com caixas e caixas de cerveja pelo Geraldo Trinca…).

Sem falar na Carla Peres, aquela que, segundo o Armando Nogueira, “tem um grande futuro por trás”. Ela disse num programa parecido que a palavra “escola” se escreve com “i”!

Aí, chegou a pesquisa (Ilustrada! Precisa ver que chique…) do Roberto Zamataro. É divertida e triste:

“Vendo este tereno e outros melhores que este.”

“Tichertes 7,50 e bonés 2,50.”

“Póvoa – Novo: Não sou bela como a Cindy nem boa como a Sharon. Não tenho o charme da Barbie… Mas a lamber, sou melhor do que a Lassie. Em caso de dúvida, ligue.” (Essa o Zamma descobriu em Portugal, pois, pois.).

“Puribido bazar – lixo.” Traduzindo: quando escreveu “bazar”, o dono da placa quis dizer “passar”. E o Zamma jura que não se trata de alguém fanhoso nem “brimo”…

“Vende-se bisiceletas enbão estado Criansa. e omen.”

“Marisqueira O Principal — We speak inglish.”

“Entre e messa a sua tensão arterial gratuitamente.”

“Atenção esta obra não se responçabelisa por cual quer danos que aja nas viaturas junto a obra.” Deve ser do mesmo “publicitário”, que certa vez fez a campanha do Natal Gale para deputado, prefeito, sei lá: “Aja o que ajar, vote em Natar”.

Pregado no poste: “Em vez de bolsa, escola vagabunda dá capanga de estudos”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *