Fará, ó!

10/12//05 – STJ mantém proibição para construir pirâmide em Paulínia.

3/12/05 – Ministério Público pede cassação de Edson Moura. Prefeito teria cometido improbidade administrativa ao contratar show de Ivete Sangalo para inaugurar obra.

16/7/05 –     Justiça obriga Edson Moura a paralisar obra. Liminar suspende trabalhos para construção do polêmico Manto de Cristal no Centro da cidade.

13/7/05 – Edson Moura confirma a construção de pólo de cinema. Sem divulgar quanto custaria, assessor diz que será perto do sambódromo.

10/6/05 – Caravana faz protesto contra Edson Moura. Grupo ocupou a Avenida José Paulino assim que chegou de Brasília, onde denunciou supostas irregularidades administrativas em Paulínia.

29/5/05 – Edson Moura quer criar ‘Hollywood caipira’. Com mandatos marcados por obras polêmicas, prefeito planeja instalar um pólo cinematográfico e de TV, e promover festivais internacionais.

03/03/05 – Edson Moura perde mais uma. A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal rejeitou por unanimidade o recurso impetrado pelo prefeito de Paulínia na ação em que ele já foi condenado por improbidade administrativa pelo Tribunal de Justiça, por negar a três famílias de baixa renda inscrição no programa de casas populares do município.

19/2/05 – Derrota em tribunal é ameaça ao mandato de Edson Moura. STF mantém sentença que suspendia os direitos políticos do prefeito por oito anos.

12/11/04 – Rodoviária de luxo consome R$ 75 milhões. O polêmico ‘Paulínia Rodoviária Shopping’ é a mais nova obra “faraônica” de Edson Moura (PMDB). O folgado orçamento de R$ 340 milhões para os cerca de 50 mil habitantes do Município não livra o prefeito de receber críticas pelas obras extravagantes. Para o cientista político da Unicamp Valeriano Mendes, “Paulínia tem ouro na mão, mas joga fora”.

17/09/04 – Campineiro leva calote em Paulínia. “De graça eu luto pela minha terra”, diz o judoca campineiro Marcelo Figueiredo, que reclamou dos salários atrasados.

15/09/04 – O prefeito disse que a construção da pirâmide de vidro, com altura de um prédio de 10 andares sobre a igreja São Bento e o Museu Municipal, terá o objetivo de acabar com as goteiras do telhado do museu.

Pregado no poste: “É por isso! Chovia nos sarcófagos dos faraós…”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *