Eterna colônia

Sei não, mas acho que a Santa Úrsula está torcendo o nariz. Ela mesma, trucidada pelos hunos porque não quis casar-se com Átila. Você acha que uma santa toparia ser mulher do “Flagelo de Deus”, mesmo sendo ele o rei dos hunos? Se bem que esse rei maligno morreu na lua-de-mel. Dizem que estava de barriga muito cheia. Faz mal. Mais informações sobre a santa, consulte o cientista Evaristo Miranda, aí na Embrapa. Ele é “assim” com elas…
A Ordem das Ursulinas mantém um colégio há muito tempo aqui em Ribeirão. Um quarteirão deste tamanho, bem no centro da cidade, curiosamente jamais cercado de árvores. Mistério! As irmãs fizeram um bom negócio. Trocaram o prédio – era bonito – por um terreno num bairro chique e, no lugar da escola, está nascendo um tremendo shopping center. E a coisa começa aí. O anúncio de página inteira nos jornais é emoldurado por uma loira mais bonita do que a Ursula Andress (lembra?), no auge da carreira, bem antes de andar com James Bond em “O Satânico dr. No”. A roupa é quase igual, mas sem a faca que a Ursula trazia presa ao biquíni, quando saiu da praia para se encontrar com Sean Connery. O resto está no filme.
Se um leitor inglês ou norte-americano vir a propaganda com os nomes das lojas que vão instalar-se ali pode pensar que o Brasil se mudou para os Estados Unidos ou os Estados Unidos se mudaram pra cá. O que dá no mesmo.
São noventa pontos de venda. Quem não souber inglês estará perdido no “Santa Úrsula”. A lista completa das “estrangeiras” (ou colonizadas?) por americanos é a seguinte: Barbacoa Grill, Body Shop, Breeze, CD Shop, Club Colours, Crawford, Dunkin’Donuts, Foto Rápida New Color, Fry Chicken, Genius Locadora, Golden Bingo, Gregory, Ice Company Co., Kipling, Levi’s, Mc Donald’s, Mirai Japanese Food, Music World, New Color, Panashop, PB Kid’s, Playland, Richards, Siberian, Super Sport Special, Tabacaria Carlton, Virtual Music, World Tennis e Yachtsmann. E esta, de nome tão longo que parece letra de tango: “I can’t believe it’s yogurt”.
Há outras lojas, mas com donos colonizados por outros povos: Amareto Pizza, Arezzo, Bavardage, Bio Bianco, Bouquet Presentes, Chic Coiffure, Colcci, Complementus, Ellus, Iódice, Jin Jin, Kopenhagen, Le Postiche, Makenji Homem e Mulher, Maria Haute Coiffure, Mezzo Punto, Milenium, Nielsen Jóias, Offula (o que será isso?), Strogonophy’s, Subito, Via Lorenzo e Giraffa’s.
Há uma que exagera na sutileza: Drogalev (Êpa! Já pode?). Outra parece trocadilho. O nome é Shopping Dance e me faz lembrar das festas caipiras que tinham chop e dança, garapa e doce. Falando depressa, saía “chopeidança, garapeidou-se”…
Quase naufragando nesse dilúvio de idiomas resistem as Lojas Riachuelo, Gráfica São Francisco, Casa Afonso, a prosaica Caprichosa Modas, A Especialista, o Antônio Carlos Jóias, a Castro Salgaderia (não é minha, juro!), Doceria Cravo e Canela, o Boticário e a Vivenda do Camarão. Estará lá, também, o Banco Real, mas esse já virou holandês e recebeu pelo que fez.
Mas o que me intrigou, mesmo, é o nome de uma loja ou lanchonete ou sapataria ou sorveteria. Sei lá o que será a “Mau Mau”. Meu amigo Fernando Brisolla, aqui ao lado, arrisca um palpite: “Deve ser de algum parente do Mao Tse Tung…”. Será uma pastelaria?
Pregado no poste: “Aprenda inglês no shopping para viver neste País”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *