Essas mulheres…(2)

Concluindo nossa conversa de ontem…

Petrarca (Poeta italiano do Renascimento, século 14) — “Inimiga da paz, fonte de inquietação, causa de brigas que destroem toda a tranqüilidade, a mulher é o próprio  diabo.”

Le Ménagier (Tratado de conduta moral e costumes da França, século 14) — “Quando um homem for repreendido em público por uma mulher, cabe-lhe o direito de derrubá-la com um soco, desferir-lhe um pontapé e quebrar-lhe o nariz, para que, desfigurada, não se deixe ver, envergonhada de sua face. É bem merecido, por dirigir-se ao homem com maldade de linguajar ousado.”

Jakob Sprenger (Dominicano alemão da Inquisição, especialista em bruxarias, século 15) — “Na criação da primeira mulher houve uma falha, pois foi feita de uma costela curvada na direção contrária à do homem. Portanto, é um animal imperfeito. É mais fraca de mente e de corpo e por natureza mais impressionável. Tem memória fraca, não é disciplinada, perdendo a todo momento o sentido do dever. Por seus distúrbios passionais e afetivos é vingativa e propensa a abjurar a fé. Não é de se estranhar que este sexo tenha dado tantas  bruxas.”

Lutero (Teólogo alemão, reformador protestante, século 16) — “O pior adorno que uma mulher pode querer usar é ser  sábia.”

Henrique VIII (Rei da Inglaterra, chefe da Igreja Anglicana, século 16) — “As crianças, os idiotas, os lunáticos e as mulheres não podem e não têm capacidade para efetuar negócios.”

Jean-Jacques Rousseau (Escritor francês, precursor do Romantismo, um dos mentores da Revolução Francesa,  século 18) — “Enquanto houver homens sensatos sobre a terra, as mulheres letradas morrerão solteiras.”

Lei inglesa (século 18) — “Todas as mulheres que seduzirem e levarem ao casamento os súditos de Sua Majestade mediante o uso de perfumes, pinturas, dentes postiços, perucas e recheio nos quadris incorrem em delito de bruxaria e o casamento é anulado.”

Napoleão Bonaparte (Imperador francês, século 19): “As mulheres são só máquinas de fazer  filhos.”

Friederich Hegel (Filósofo alemão do século 20) — “A mulher pode ser educada, mas sua mente não é adequada às ciências mais elevadas, à filosofia e algumas das  artes.”

Pollyanna (Personagem da literatura psicológica mundial, século 20) — “A mulher deve ser doce e suave no trato com seu companheiro, jamais pretendendo tomar o lugar dele na ordem natural das coisas da vida.”

Pregado no poste: “Mas Deus criou a mulher. Graças a Deus!” – Moacyr Castro, séculos 20 e 21

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *