Era uma vez Papai noel

Com esse negócio de reduzir tudo a números, a matemática (nunca fui com a cara dela) queimou Papai Noel – logo na primeira viagem, porque ele não agüentaria a segunda. Veja o que a revista Spy Magazine, de janeiro de 1990, revela nesta pesquisa científica anual sobre o bom velhinho, descoberta pelo Guilherme Nucci e publicada no livro “A arte de argumentar – gerenciando razão e emoção”, de Antônio Suárez Abreu.

“Papai Noel tem 31 horas no dia de Natal para executar seu trabalho, graças à diferença de fusos horários e à rotação da Terra, desde que ele viaje de Leste para Oeste (o que parece mais lógico). O que nos leva a 822,6 visitas por segundo. Isto é o mesmo que, para cada lar cristão com uma criança que foi boazinha o ano todo, Papai Noel dispõe de um milésimo de segundo para estacionar, pular do trenó, escalar a casa, descer pela chaminé, encher as meias, distribuir os presentes restantes sob a árvore, comer o lanche que lhe deixaram, voltar pela chaminé, entrar de novo no trenó e dirigir-se à outra casa. Assim, o trenó dele se desloca a 1.045 quilômetros por segundo, ou 3.000 vezes a velocidade do som.

A capacidade de carga do trenó pode adicionar elementos interessantes à investigação. Assumindo que cada criança não ganhe mais que um conjunto médio de Lego (900 gramas), o trenó estará carregando 321.300 toneladas, não incluindo o próprio Papai Noel, invariavelmente descrito como extremamente obeso. No solo, uma rena convencional pode puxar não mais que 135 quilos. Mesmo admitindo que uma ‘rena voadora’ possa puxar dez vezes esta carga, não seria possível executar este trabalho com apenas oito ou nove renas. Seriam necessárias 214.200 renas voadoras, o que aumenta o peso do conjunto, sem contar o peso do trenó, para 345.430 toneladas.

Assim, 5.353.000 toneladas viajando a 1.045 quilômetros por segundo cria uma enorme resistência do ar – isto queimaria as renas voadoras como se queimam as naves espaciais quando da reentrada na atmosfera da Terra. A total vaporização de todo o grupo de renas levaria apenas 4,26 milésimos de segundo. Enquanto isso, Papai Noel seria submetido a uma força centrífuga 17.500,06 vezes maior que a gravidade. Um Papai Noel de 115 quilos (o qual nos parece burlescamente magro) seria esmagado na parte traseira de seu trenó por 1.954.700 quilogramas-força. Conclusão: se Papai Noel de fato entregava presentes na véspera de Natal, ele está morto agora.”

Pregado no poste: “Você paga para d. Izalene falar bem dela para você”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *