E o patrocínio ?

Depois que o Renato Otranto contou no “Jornal de Esportes” da Jovem Pan, que eu me mudei de Ribeirão Preto para Campo Grande, só me falta acabar de arrumar a tralha. (Está pegando bem, viu Renato ? Mesmo na hora do almoço, chiando, mas chega. O “pique” do querido Vanderlei, à noite, pinta mais claro.)

O Renato enlouqueceu. Veja só se a mudança de um amigo é motivo de notícia numa rádio daquele tamanho, recheada de grandes companheiros. Só poderia sair da “cabeça” do Renatinho. Ou da “cabecinha” do Renatão, sei lá… Um abraço no Milton Neves, no Vanderlei, no “Pelé” da família Quartarolo, no Facciolli, no Guedes, no Silvério, no Mauro Nóbrega, no Orinde, no Gimpel, no Sílvio Sanvito, no Flávio Prado, no “seu” Tuta, no Carsughi, no incrível Natal Baldini e em todo mundo. Essa gente fina faz o rádio que Marconi sonhou.

E é justamente arrumando a tralha que o passado se revira e aparece cada uma! Olha só o texto de uma notícia que fiz para o Estadão no dia 15 de Janeiro de 1975, exatamente dois meses depois daquela eleição em que o MDB “lavou” a Arena em todo o Brasil. O original ainda está naquela velha lauda, lembra, Beto Godoy? Prometo não mexer nem uma vírgula do que foi publicado na época. Lá vai:

Orestes Quércia, de vereador a… ? é o nome do livro que está sendo escrito pelo vice-prefeito de Campinas, Otávio Ceccato, eleito deputado federal pelo MDB no último pleito. Dentro de seis meses, segundo o autor, a ‘obra’ estará nas livrarias contando, em oito capítulos, a vida do senador eleito, com destaque para os principais episódios da campanha desenvolvida no ano passado”

“Ceccato começou a redigir a narrativa há dois meses, logo após a vitória de Quércia, mas confessa que pretendia iniciar o livro há mais tempo, quando o ex-prefeito de Campinas venceu a convenção do MDB para disputar as eleições. Intitulando-se ‘o primeiro de muitos biógrafos que Quércia terá’, o vice-prefeito explica que nem o próprio biografado tem, ainda, conhecimento do livro, que terá muitas ilustrações e fotos do senador”

“Cinco capítulos já estão concluídos: Infância, Juventude, Vinda a Campinas, Início na Política e Prefeito de Campinas.

Até aqui, Ceccato destacou “a vida da criança em Pedregulho” e a luta, em Campinas. trabalhando ao mesmo tempo em três lugares: Rádio Cultura, sucursal da Última Hora e no bar do pai, além de cursar Direito na Universidade Católica. Para descrever a campanha de Quércia ao Senado, Ceccato pretende incluir um fato ocorrido em Araraquara: ‘À noite, uma das mariposas que circundam as lâmpadas entrou na boca de Orestes. Ele, inabalável, pediu licença ao povo para tomar um gole de água. Sentindo que todos haviam percebido, o candidato saiu-se com esta explicação, bem mineira: ‘Vou engolir este inseto, da mesma forma como engoliremos a Arena a 15 de Novembro.’ O livro ainda não tem editora interessada, mas terá 220 páginas e Ceccato promete uma noite de autógrafos em cada cidade do Interior .”

Naquele tempo, faltava uma editora. E um patrocinador ? Será que nem o Banespa se interessou ?…

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *