É melhor

Jean de Souza é excelente repórter, começando a carreira (de jornalista), formado na Universidade Estadual de Londrina, a UEL, que os alunos preferem chamar de Well, porque na colônia fica mais chique se expressar assim.

(Não falta mais nada para sermos mais uma estrela em outra bandeira, que tanto pode ser a da Bolívia, do Irã, de Cuba ou da Venezuela. Basta ao Brasil deixar a bandeira americana e estaremos na “Bolívia do Leste”, “Venezuela do Sul” ou mudaremos para o “Ocidente Médio”. Tem muito a ver com a gente. Mas não será fácil trocar: está tudo em inglês. Os bebês nascem Maicon, Maicon Suel, Cleverson, Suélen… Numa novela, a secretária nascida Socorro é chamada de Help! Quer mais? As lojas do shopping têm nomes que não significam nada, mas é só enfileirar palavras – se ficar sonoro, mande ver: “Animal’s Jeans Clube Corporation”. Ninguém mais chama encanador, eletricista, antenista, pedreiro, mecânico. Agora, é preciso ligar para uma “home care”. Na selva de lanchonetes denominada por hot dog, cheese burger, banana split, egg, catch up, abriram uma diferente: a ‘Mau Mau’. Finalmente, um nome em nossa língua? Que nada! O dono falou que é homenagem ao Mao Tse Tung.)

É essa mixórdia que inferniza a cabeça do Jean. Ele prefere tentar a profissão em novas paragens, novos ares, novas fontes. Não quer seguir a maioria dos desiludidos, que sonha com Londres, Paris, Roma Milão, Berlim, destinos dos que querem aprender outra língua, fazer cursos de economia, moda, direito, política, artes plásticas, administração. Pra que fazer economia lá fora, se aqui o pãozinho sobe mil por cento e o governo anuncia deflação? Artes plásticas? Mas aqui não cuidam nem da réplica da caravela dos seus descobridores… Moda: jeans e camiseta? (Pretinho básico é politicamente incorreto.). Administração, pública ou particular, o que vale é a sonegação, a corrupção, o Deus dará. Como é o direito na terra onde Pimenta Neves, políticos, estupradores e traficantes estão soltos? Política!? Política!? Política!? Aqui o nome da capital rima com quadrilha!

Tem mais: na Europa, dizem os mais vividos, está tudo pronto, nada instiga.

— Acho que vou arriscar a África…

— Ora, bolas! Então vá para Campinas, uai!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *