E ainda passam de ano…

Essa molecada de cursinho tem “muito” o que fazer, além de estudar. Agora, circula entre eles um panfleto importado da Universidade Federal do Paraná. Só tem besteira:

“Já deu bom dia para seu computador hoje? Ah, já? Que coisa mais ridícula!!”

No elevador — O caipira entra e o ascensorista pergunta: “Que andar?”. O caipira responde: “Quarqué um, já errei o prédio mermo.”.

No escurinho do cinema — “A senhora se sentou no meu colo. Não quer passar para outra poltrona?”. “Se o senhor prefere, vamos.”.

Mania de grandeza — Em Itu, um sujeito entra no bar “Tudo Grande” e pede um chope. O garçom coloca um barril na mesa. Quando pede uma porção de queijo, o garçom traz um pedaço de 30 quilos. Horas depois, já meio bêbado, o homem pergunta onde é o banheiro. O garçom aponta para os fundos do bar, mas o cara se engana de porta, sai do bar e cai numa piscina. Aos berros, o bêbado implora: “Pelo amor de Deus, não dêem a descarga! Ninguém puxe a descarga!”.

Peixinhos da Madame — A patroa chama a nova empregada: “Josefina, por que você não trocou a água do aquário ?”. “Uai, Os peixinhos ainda não acabaram de beber aquela!”.

Idiotas — O brasileiro caçoando do português: “Como se chama moça lá em Portugal?”. “Rapariga.”. “E fila?”. “Bicha.”. “E como se chama trem?”. “Comboio.”. “E idiota?”. “A gente não chama; chegam todos pela Varig.”.

Bacalhau – “Por favor, me dá uma bacalhoada.”. Ah, você é português?”. “Descobriste por causa do meu sotaque ou por causa da bacalhoada?”. “Não, não, é que aqui é o McDonald’s!”.

Cúmulos – Da lentidão, no basquete, é arremessar na cesta e cair no sábado; no vôlei, é dar uma manchete e acertar na Globo; da velocidade é dar a volta na mesa e pegar você mesmo ou trancar uma gaveta com a chave dentro; da moleza é correr sozinho e chegar em segundo; da revolta é morar sozinho, fugir de casa e deixar um bilhete dizendo que não volta mais; e do exagero é passar manteiga no Pão de Açúcar.

De computadores — Eu gostaria de criar homepages, mas não sei o que elas comem; se o computador atrapalha os estudos, saia da escola; teclado não instalado! Pressione <F1> para continuar; só Jesus salva, Norton faz Backups; troco 286 com monitor por um pacote de bolacha Maria, mas volto diferença; computador é como carroça, tem sempre um burro na frente; minha RAM comeu meu pernilongo de estimação; os analistas de sistemas adoram fazer programas, mas só entre eles — isso obriga suas mulheres a chamarem o padeiro, o leiteiro, o entregador de pizzas…; em computador de bicheiro, os dados são processados por um advogado; meu winchester disparou e matou meu mouse.

Filosofia de vestibulando — Amigo meu não tem defeito. Inimigo, se não tiver, eu ponho; do primeiro suicídio a gente jamais se lembra; dívida pra mim é sagrada! Deus lhe pague; sou tão macho, mas tão macho, que o meu lado feminino é sapatão; tudo na vida é passageiro, menos cobrador e motorista!; o estudo é a luz do saber: economize energia, não estude!; o Ministério da Saúde adverte: a maconha causa perda de memória e diversos problemas de que eu já me esqueci; onde quer que você esteja, você sempre estará lá! Oh! Virgem concebida sem pecado, permita que pequemos sem conceber…

Pregado no poste: “Pague seu IPTU em dia, para não atrasar o pagamento dos vereadores.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *