É a vovozinha!

O professor Stucchi, grande mestre da ginástica, hoje chamada de Educação Física, sempre foi um grande entusiasta do meu desempenho, tanto na quadra do ginásio “Alberto Krum” como no extinto campo de futebol do “Culto à Ciência”. Por piedade, nunca me esganou. Continuo o mesmo, mestre.

Outro dia, a Regina Trinca me mandou relato das atribulações de uma mulher (nem loira nem burra) para sacar dinheiro de um caixa eletrônico a bordo do próprio carro. Lembrei-me de mim, tentando fazer esteira. Está cada dia mais difícil. Nestes tempos de secura, caminhar por aí é perigoso. Aí, começa a corrida de obstáculo. A esteira fica lá no banheiro dos dois corintianos que moram aqui em casa. Quando vi, já tinha passado protetor solar para andar na esteira dentro de casa.

Parece ritual de magia branca. Tem de passar silicone para a dita cuja deslizar. Pôr garrafa com água na pia ao lado para hidratar o corpo. Na primeira vez, engasguei, perdi o equilíbrio e cai sentado na bacia da privada. Recomendaram usar um bico na boca da garrafa. Duas balinhas de camomila para adoçar a jornada — uma balinha fica numa xícara em cima de um pires com água, se não, as formigas… Balinha, pires, água, garrafa e bico exigem cinco idas à cozinha: não consigo fazer tudo de uma vez.

Música! Caminhar na esteira ouvindo música ajuda o tempo passar. Uma tomada é para a esteira. Para instalar o tocador de disco, começa a procura pelo fio de extensão: o mesmo que liga o forno, o acendedor do fogão, o ferro de passar roupa. Cada hora está num lugar. Instalar toca-disco, disco e fio exige idas à cozinha, despensa, quarto, copa, cozinha e banheiro. Uma para cada tarefa.

Calção, uma cueca a mais para segurar a hérnia já operada, meia, camiseta, tênis e um pano na cabeça para conter a transpiração exigem adivinhar onde está cada ingrediente. Só sei onde fica a hérnia. Depois de pronto, já na esteira, “Ih! Faltou a outra cueca!”. Volta ao quarto, toca o telefone, a conversa distrai e a cueca vai por cima do calção. Volto à esteira e estranho aquele negócio branco apertando o… calção. Pára tudo! Meia hora perdida para fazer uma simples caminhada!

Pregado no poste: “Super 15 é a vovozinha!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *