Dona Afonsina

— Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós…

— A Ave Maria era avó?

— Claro que não! Era mãe de Jesus. Não teve filhos. Nossa Senhora não era avó de ninguém.

— E Nossa Senhora era o que da Ave Maria, então?

— Eram a mesma pessoa. Nossa Senhora é Maria, mãe de Jesus…

— Mas por que chamam ela de “ave”? Lá na Igreja do Carmo, ela aparece voando na parede… É por isso que…

— Nada disso. Quem aparece voando é um anjo. Maria, Nossa Senhora, mãe de Deus é tudo igual. A gente fala “ave”, porque é uma saudação. Nada a ver com passarinho.

— Mãe de Deus, mãe de Jesus… Deus e Jesus eram irmãos?

— Não. Depois eu explico. Agora, que você já sabe a Ave Maria, vamos ver o Padre Nosso. Leia comigo, devagar, aí no seu catecismo.

— Padre nosso que estais no céu…

— Professora, monsenhor Lázaro morreu?

— Claro que não! Por quê?

— Quem morre não vai pro céu?

— Vai. Mas o padre Lázaro não morreu, não…

— O monsenhor Lázaro é o padre nosso lá de perto de casa. Está escrito aí que o padre nosso já está no céu…

— Não. O “padre nosso” que está no livro é a mesma coisa que “Pai nosso”, o mesmo que Deus. Entendeu? Em frente…

— O pão nosso de cada dia nos daí hoje…

— Porque Deus também dá pão pra nós cada dia? Eu nunca vi. Minha mãe me manda comprar pão e quem dá é o seu João Belleti ou a dona Noêmia, lá na venda.

— Preste atenção: “O pão nosso de cada dia nos dai hoje”. Isto é: quem reza pede a Deus, que nunca falte pão, alimento, em nossa casa. Olha aí: … não nos deixeis cair em tentação…

— O que é “cair em tentação?”

— Quando você chega a essa parte da oração, peça a Deus para não pecar, não magoar os outros.

— No dia da Primeira Comunhão tenho de rezar essa oração comprida, aí, dizendo que sou pecador?

— Essa é para rezar antes de se confessar. Ela é maior do que as outras e você tem de saber direitinho. Antes, tem o Ato de Contrição. É assim: ”Eis me aqui, ó meu bom e dulcíssimo Jesus, prostrado na Vossa presença, Vos peço e rogo que imprimais no meu coração vivos sentimentos…”

— Virgem Santíssima, Ave Maria, Nossa Senhora, Santa Mãe de Deus! Tira essa! Não entendo nada do que está aí. Deixa essa por último, para o dia do exame com monsenhor Lázaro. E vê se a senhora dá um jeitinho de ele não me perguntar o Ato de Contrição. Vamos tentar o “eu pecador”.

— “Eu pecador me confesso a Deus todo-poderoso…”

— A senhora disse que o Papa é infalível. E quando estamos na igreja o padre vira Deus?

— ??!!

— Eu não tenho de contar os pecados para o monsenhor Lázaro? Na hora, ele vira Deus todo-poderoso?.

— Não. Você ora pra Deus e se confessa com o padre.

***

— Padre Lázaro, esse é o garoto para o exame de Primeira Comunhão. Sou a catequista dele e ele está preparado.

— Vamos lá, menino. Primeiro o Padre Nosso, depois o Ato de Contrição e por último a Ave Maria.

— Padre Nosso, que estais no céu, santificado seja o Vosso nome…

— Padre, há uma mulher chamando o senhor ali na porta…

— Obrigado, professora. Esperem que já volto.

— E o Ato de Contrição? Como é que eu faço?

— Fique calmo.

–Pronto. A mulher deve ter saído. Vamos continuar. Onde estávamos?

— Falta só a Ave Maria, monsenhor, para ele ser aprovado…

Querida mestra Afonsina Affonso Ferreira. Semana passada, Deus a chamou. Não me esqueço dela, mas não consigo me lembrar do Ato de Contrição. Tanto faz. Como ela está com Deus, Ele está em boa companhia.

Pregado no poste: O problema é a Justiça do Trabalho ou o trabalho da Justiça?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *