De ontem e anteontem-2

Ainda dividindo a saudade que bateu ontem, vamos nós…

Imitou o ‘andar para trás’ do Michael Jackson? Imitei Al Jolson, em “O cantor de jazz”, primeiro filme sonoro…

Tomou leite de Magnésia Phillips? Só Magnésia Leitosa de Orlando Rangel (já vinha com papel…).

Pulava ao ver o programa do palhaço Carequinha? Eu vibrava com Arrelia, Pimentinha, Piolim e Chincharrão. E com o “Circo Bom Bril”, na Tupi. A garota-propaganda era a Elisabeth Darcy, mãe do Sílvio Luís! Sabe lá o que é isso?

Tinha medo da Cuca, do Sítio do Pica-Pau Amarelo? Quem apavorava era o Boris Karloff, o Drácula, na “Sessão Terror”, da Record.

Você se lembra dos comerciais e promoções de Avanço, Linhas Círculo, Monange e Leite de Aveia Davene, nos intervalos dos Trapalhões? Não me esqueço das promoções das cestas de Natal Amaral e Columbus: “Para você, meu filho, Grandes Vocações” – uma coleção de livros.

Prova no colégio cheirava a álcool do mimeógrafo? A minha cheirava a papel almaço, do Bar do Alo, e a “Tinta Quink, preta permanente”, porque era proibido usar a “azul real lavável”.

Cantou “Ursinho blau blau” e “Mama-Maria”? Ouviu Menudo (“Não se reprima, não se reprima…”), New Kids on the Block (“Step by step, oh baby…”) e Dominó (“Manequim, seu sorriso é um colar de marfim…”)? Viu o programa do Balão Mágico com Jairizinho e Simony (de roupa e sem barriga)? Não me esqueço do “Coelhinho da Philips”, com a vedete Virgínia Lane, amante do Getúlio Vargas, vestida de coelhinha. Não sei porque, mas o pai da gente adorava…

Curtiu os desenhos animados Corrida Maluca, Turma da Pesada, Caverna do Dragão, Thunder Cats, Speed Racer, Ursinhos Carinhosos? She-ha e He-man (você ainda acredita naquela história de eles serem irmãos?). Gostava de Pica-Pau, Andy Panda, Pernalonga, Tom&Jerry, Roy Rogers, Zorro e Tonto (eram só amigos?), Hapalong Cassidy…

Chorava toda vez que caía e sua mãe vinha com aquele vidrinho de mercúrio para passar no seu joelho? Mercúrio? Arnica ou água végeto-mineral…

Usou gel New Wave nos cabelos? Não, Glostora, Quina Petróleo Sandar e fixador Juvênia, da Bozano.

Sabia cantar as músicas da banda Blitz (“Você não soube me amar…”)? Sabíamos as da Celly Campelo (“Meu pobre coração já não agüenta mais…”, “Tenho um amor puro e verdadeiro…”), Tony Campelo (“Eu vi um diabinho solto no jardim, oh baby…”, “Esse bebezinho não me deixa namorar…”, “Você vai ler, no livro do coração”), Carlos Gonzaga (“Oh Carol!”, “No velho Oeste ele nasceu…”), João Dias (“Até logo crocodilo, até logo jacaré…”).

Pregado no poste: “Confunda um político qualquer com qualquer político”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *