Caro Papai Noel,

As cartinhas com pedidos de presente de Natal já chegam à agência dos Correios, aí na Francisco Glicério. Sei que não pode, mas consegui entrar atrás dos guichês e ler algumas (se alguém chamar isso de invasão de privacidade, pergunto: “E quem, abusando da autoridade, invadiu essa área em novembro de 1970, e resgatou carta endereçada a um certo professor francês?)

Sexta-feira, saiu a fotografia do Lulla com a meia desfiada e uma fábrica mandou doze caixas de sua melhor coleção para o saco, digo para puxar o saco do presidente. Sai tanto retrato de gente sem meia na imprensa e ninguém manda nada. Mas alguém, pensando que este não é um país de bajuladores, pediu as meias para o Papai Noel. Não precisa mais.

Criadores de pitebul darão uma fera dessas para seo doutor Hélio? Ele vetou capar esses bichinhos (esta conversa está ficando pornográfica e eu nem falei no saco do Papai Noel).

Alguém escreveu sugerindo um Alecrim para o padre Caram plantar no Largo da Catedral. Essa é boa para todo mundo: um baú de histórias de página inteira para o Rogério Verzignasse. Um chapeuzinho com o distintivo da Ponte Preta para o Renato Otranto ir aos jogos do Guarani. Para o jornalista Marcelo Villa, uma passagem da TAM, de ida (e de volta) Campinas-Porto Alegre-Campinas, sem atropelos.

Um ex-aluno escreveu uma carta pedindo a Papai Noel um cachimbo da paz para ser pitado pelo professor João Tojal e pela diretora do Colégio Culto à Ciência, Débora Gobbi. Deixei uma cartinha lá, propondo o Prêmio Nobel da Paz para a mestra Quinita Ribeiro Sampaio de Mello Serrano. Pedem que a egrégia se defina: mais pra perto do ‘sumitério’ ou da cadeia. Redistribuição drástica da população de todas as cidades para impedir o alastramento de vereadores. Papi Noel, é pedir muito que seja exibida a conta telefônica de cada vereador? Ou o povo, que tem de pagar essa conta, está proibido de saber? Papai Noel, isso é honesto?

Veja o que está escrito neste pedido: “Papai Noel, se for para o bem de todos e felicidade geral da nação, exclua a Seleção Brasileira da próxima Copa do Mundo”. Meu Deus, se isso acontecer, a Globo vai dizer que Papai Noel não existe, meu!

Querem que, na Avenida dos Esportes, aproveitem aqueles dois estádios em cada ponta e o bom velhinho ponha um time de futebol em cada um.

Há um pedido que, se Papai Noel atender, lavará a honra desta cidade: quem mandou matar seo Toninho?

Pregado no post: “Papai Noel, troque os carros dos vereadores por trenós sem freios”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *