carloszefiro.com.br

Nem Paulo Coelho. O maior sucesso da literatura brasileira passou quarenta anos no anonimato, vendeu mais de 10 milhões de exemplares sem que lista alguma dos mais vendidos ousasse mencioná-lo. É o campeão. Tanto que agora, a obra de Alcides Caminha, de pseudônimo Carlos Zéfiro, sai debaixo de colchões, fundos de guarda-roupas, meio de livros e cadernos, quartinhos e outros recônditos para ganhar edição completa. Eis que os famosos “catecismos”, as “revistinhas de sacanagem” mostram suas páginas que povoaram corações, mentes e outras partes do corpo de adolescentes vividos nos anos 50s e 60s.

Muitos títulos são curiosíssimos, outros, intrigantes: “Amigos… Amigos…”, “Amor à Três”, “Ângela, a Professora”,  “Anjo Mau”, “Bailarina”,

“Boas Entradas”, “Bom Começo”, “O Cientista”, “O Conselheiro”, “Conselhos Quadrados”, “A Cura”, “Degraus da Vida”, “A Despedida”,  “Diana, a Sacerdotisa”,  “A Difícil”, “O Entrevistador”, “Fui Hippie”, “Família”, “Fim de Trauma”, “Fugitivo”, “A Irmã da Índia”,  “João Cavalo na Fazenda”, “Mara e o Pintor”, “Maria, a Proibida”, “Meu Primo”, “Minha Vida no Convento”, “O Noviço”, “O Parafuso e a Mulher Biônica” (incrível esse!), “O Pato”, “A Pinicada”, “Robson Crusoé Século XX” (será que o ‘Sexta-feira’…?), “Titia”, “Tuca”, “Vida, Paixão e Morte de um Sofá”, “Viúvo Alegre”, “A Prefeita” (Meu Deus! Quem será ela!?).

Agora, veja se o Carlos Zéfiro destes tempos cibernéticos tem alguma graça. Veio pelo Miguel Nucci:

“Resposta nova para uma velha pergunta:

Velha pergunta:

— Pai, como eu nasci?

Resposta nova:

— Muito bem, tínhamos de ter essa conversa um dia… Aconteceu o seguinte: eu e sua mãe nos conhecemos e nos encontramos num ‘chat’ desses da internet, que existem para conversar. O papai marcou uma interface com a mamãe num ‘cybercafé’ e acabamos plugados no banheiro. A seguir, a mamãe fez uns Downloads no joystick do papai… e quando estava tudo pronto para
a transferência de arquivo, descobrimos que não  havia qualquer tipo de Firewall conosco. Como era tarde demais para dar o ESC, papai acabou fazendo o Upload de qualquer jeito com a mamãe e nove meses depois, o ‘Vírus’ apareceu. Entendeu?

Pregado no poste: “Isso é sexo escrito”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *