Buchada de bode

Eu mereço, porque quem faz besteira e insiste, tem de passar um mês a jiló, chuchu e buchada de bode. Pela terceira vez, o Cine Rex saiu da Vila Industrial e foi parar no Bonfim. E o Real, sem querer, caiu na Vila. Certo é que os dois mais o Cine Casablanca não tiveram um mau fim. Mestra Célia Farjallat já me corrigiu, mas não adiantou. Agora, perderam a paciência — eu também.

Primeiro, foi a senhora Jandira Camargo. Depois, tão fidalgo quanto, o sr, Ayres Pereira Filho, do Jardim Leonor, mandou uma aula de lembrança: “O Cine Rex, inaugurado em 29.12.1953, com o filme “Duas Garotas e Um Marujo”, com van Johnson, ficava na Vila Industrial, Rua Salles Oliveira; o Real, de 30.09.1953 com o filme “Coração de Mãe (Paula)”, papel título de Loretta Young, este, sim, era na Governador Pedro de Toledo, Bonfim. Real no Bonfim; Rex e Casablanca (aberto em 30.01.1953, com o filme ‘Coração Ingrato (Cuore Ingrato)’, com Carla Del Poggio”

Das garotas e do marujo, o Sr. Ayres dá a ficha completa, do diretor, Richard Torpe, ao elenco inteiro. Como não cabem todos vão June Allyson e Gloria DeHaven.

Aí, a Regina Trinca, filha dileta da Vila da Fé, mostra o orgulho do bairro mais trabalhador da cidade: “Como boa ‘bucheira’, criada na Vila, tenho a dizer que ela teve dois cinemas: Casablanca e Rex, na Salles Oliveira, perto do Colégio São Roque, mais conhecido como ‘Capelinha’, com entrada na Barão de Ibitinga, onde morou o Sr. Henrique Brenelli (pai da Cidinha?), alfaiate dos melhores! O Real, no qual nunca entrei, ficava no Bonfim.”

Esse é o autêntico e puro bairrismo, o dos que defendem seus bairros. O próprio pessoal do Bonfim chamava o lugar, até um pedaço da Vila Teixeira, de “Cerca Bode”. Era conversa de comadres: “Segure seus bodes, que eu vou soltar minhas cabras…”

Lá em cima, o Castelo, e descendo, a Vila Nova, eram territórios dos “pés vermelhos” – parece nome de tribo de índio americano. Não sei o motivo, mas desde criança, ouvia chamarem o São Bernardo de “chora coati”. Na primeira vez, porque queria ver um filme no Cine São Jorge, e perguntei onde ficava o dito cujo. Agora, depois do Taquaral, era o “Furazóio”, hoje, o “bairro solar”. Que mudança! Alguém aí comeu maria-mole à noite no Furazóio? Ficava no ponto final do Bonde 4. Prova de coragem!

Monte Mor tinha uma fábrica de freios de cavalo da famosa marca “Água Choca”, jura o Renato Otranto. Perguntem a ele o apelido da cidade. Incrível é um lugar em Salvador aonde se ergue enorme placa com anúncio da Ford. Nome do lugar: “Placafó”. Pior é na Estrada Velha São Paulo – Campinas: uma vila nasceu atrás da placa onde a estrada bifurca e “Campinas – Franco da Rocha”. Nome da vilinha: “Bicha Louca”…

Pregado no poste: “O juiz Balthazar Garçón não mandará prender Raúl Castro?”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *