Bichos de Campinas

O cientista Mário Autuori, autêntico São Francisco de corpo e alma, diretor do Jardim Zoológico de São Paulo, dizia que fotografias de animais na primeira página ajudam a vender mais. (Por isso, a ‘Terra da Gente’ ainda bate a ‘Veja’ nas bancas…).

Animais estão na alma dos homens de bem e de bens. A seção “Cena Urbana” do “Correio Popular” é feita por essa gente de bem. Onze entre dez fotografias ali exibidas são a festa da bicharada campineira. E quem cuida delas (das fotos) também capricha nas legendas. Veja:

Ponto de vista: Estátua do maestro, refletido em poça d’água na Praça Bento Quirino, surge sob ângulo inusitado para pombos observadores mais atentos.

O doce da vida: Abelha pousa na flor para retirar o pólen, ensinando que as cenas mais belas da existência são ofertas gratuitas da natureza.

Ordem no terreiro: Galo toma conta de rua no Jardim Maria Rosa, enquanto galinhas ciscam na calçada.

Despertador: No papel de galo, o pica-pau surpreendeu moradora da Rua Camargo Pimentel, que acordou com a insistência do toc-toc no tronco do abacateiro.

De rapina: Gaviões descansam na cerca sob a onipresença, da logomarca de frigorífico especializado em carnes de aves.

Aconchego: Para se proteger da chuva, gato encontra abrigo em cima de roda do caminhão.

Casa nova: Marimbondos tomam conta do ninho cheio de ovos como guardiões do grande tesouro.

Poleiro aquático: Na Lagoa do Taquaral, aves à espreita para pescar o almoço do dia.

Comodidade: Até a abelha se rende ao fast-food ao encontrar açúcar farto em copo de refrigerante, em vez de buscar pólen nas flores

Doce descanso: Laranja madura no pé serve de escala para borboleta repor as energias e continuar o alegre vôo

Zunzunzum: Nas generosas pétalas abertas da rosa, a abelha se empenha em seu doce ofício, de flor em flor pelos jardins de Campinas.

Hora do lanche: Gansos do Parque Ecológico enchem a goela com querela deixada no caminho por visitantes da área verde.

O que restou: Mamãe quero-quero inspeciona território da família no gramado do ‘Brinco de Ouro’ e ensina técnicas defesa para os filhotes (Dá para ensinar os jogadores?)

Por pouco: Jibóia é imobilizada após escapar de atropelamento ao tentar cruzar a Avenida Comendador Aladino Selmi.

Na soleira: Bem escovada, laço vermelho na cabeça e ares de dona de si, a cadelinha foca a lente da fotógrafa enquanto espia o movimento na rua.

Ilusão de ótica: Coelho de estimação parece levitar rumo ao céu. Nome dele: Nuvem.

Na pista: A cidade avança sobre a zona rural e vacas tomam o entorno do Jardim Itatinga.

Uma imagem vale mil palavras? Usei 339, mas nem assim.

Pregado no poste: “Injustiça — nenhuma andorinha”

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *