Atire a primeira pedra quem…

… nunca jogou ponta de cigarro acesa para os macacos do Bosque dos Jequitibás.

… não passou pelo sinal vermelho na esquina da Avenida Brasil com Barão de Itapura.

… não fez “chô”, só para espantar o condor na abertura dos filmes da, claro, Condor Filmes.

… nunca chegou mais cedo à sessão Gazetinha do Carlos Gomes, para “pegar” o Leão da Metro com bobbies na cabeça, como juravam os adultos.

… não passou sabão ou areia nem deixou tampinha de refrigerante no trilho do bonde, só para ver o bicho patinar.

… nunca saltou do bonde antes de pagar a passagem.

… não acendeu o cigarro antes de sair do cine Windsor, mesmo com a voz do Geraldo Sussolini implorando para ninguém fazer isso.

… não tocou campainha de uma casa e saiu correndo.

… não ‘inventou’ uma ida à Junta do Serviço Militar, ali perto da Santa Casa, para enforcar uma ou duas aulas.

… nunca falsificou a data de nascimento na caderneta da escola, para enganar os porteiros e comissários de menores na entrada dos cinemas.

… não xingou o juiz no Brinco ou no Majestoso, antes mesmo de o jogo começar.

… não foi à Drogasil só para ‘trepar’ na Berkel ou nunca sentou-se numa “Celite boca larga”. (Ô maledicente, Berkel era a marca da balança e Celite, a do vaso sanitário.)

… nunca viajou no estribo do bonde só para se exibir.

… nunca passou mal depois da primeira tragada.

… jamais cheirou lança-perfume, só para “ver como é isso que dizem que deixa louco?”

… não se fantasiou de pirata, palhaço ou bailarina no Carnaval.

… nunca falou “Ó” para o Mané nem sorriu para a Gilda – saudade…

… não foi à casa da Paraguaia e da Pingüim com a desculpa de ver o retrato autografado do Adhemar de Barros na parede da sala.

… nunca deu gato para o leão comer e ganhar entrada no circo Garcia.

… não se assustou com a primeira viagem no trem fantasma nem (quase) fez nas calças na primeira volta da montanha russa.

… não tomou Pervitin para passar a noite estudando. Coca-cola com café também vale.

… não ficou louco da vida ao descobrir que não havia papel higiênico no banheiro do Mercadão, só depois…

… nunca pediu camisinha na farmácia São Luís, só mostrando o polegar e o indicador – separados! — para o balconista.

… não ia aos treinos de vôlei feminino no Regatas só para ver nossa miss Carmen Ramasco e suas colegas de short e camiseta.

… são os ponte-pretanos que nunca foram a um Guarani X Corinthians só para torcer para o Timão. (A recíproca é impossível, porque o Guarani nunca foi filial de ninguém. Matriz, também não.).

… não está louco para chegar o dia da eleição e limpar Campinas!

Pregado no poste: “É político? Pode generalizar”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *