As criaturas e o criador

“A Prefeitura de Campinas está distribuindo carta aos moradores informando que realiza o recadastramento dos 355 mil imóveis da cidade. Para conseguir as características dos imóveis, solicita que os moradores permitam aos recadastradores entrar nas residências. Segundo alguns leitores, dentro da residência eles anotam se há ‘melhorias’ tipo piso de maior valor, tv a cabo, tapetes caros, azulejos, etc..

O absurdo não pára por aí. Quando alguém não permite a entrada dos funcionários, eles dizem que o morador poderá receber multa por tal ato. Mesmo quem disse que a entrada numa residência contra a vontade do proprietário só é possível com ordem judicial, recebeu ameaça de multa. Consultado, o presidente da Câmara, Romeu Santini, confirmou o absurdo e disse que ninguém é obrigado a deixar quem quer que seja entrar na residência, a não ser com mandado judicial.

Ele está curioso, pois para cobrar o IPTU, não é necessário saber o que há dentro das casas. Basta o tamanho da construção, o que se consegue até através da planta. Ou de uma vistoria apenas externa. Ou ainda de um serviço de aerofotogrametria. Como a carta diz que as informações permitirão à Prefeitura calcular um imposto mais justo, vai ver o grau de conforto e luxo dentro das casas servirá de base para o IPTU  ‘socializado’. E mais elevado, claro.

Mais. Um comerciante das imediações da Lagoa do Taquaral ligou para a coluna ontem, para informar que a dupla de recadastradores esteve em seu estabelecimento e quis saber também o nome completo do contador da firma, endereço e telefone. O comerciante, apesar de estranhar, forneceu os dados. Depois, ficou se perguntando: “O que o IPTU tem a ver com meu contador? Será que ter contador é uma melhoria ou esse pessoal está fazendo uma boquinha pra Receita Federal?”

Tendo ao fundo um desenho do maior ditador do século XX, Joseph Stalin, no timão da nau soviética, a publicação ‘Lazer de Corpo & Arte’, da Secretaria de Cultura (!!!), Esportes e Turismo da Prefeitura, gasta três páginas para anunciar ‘A Arte da Revolução – Cultura e Política nos Caminhos da Rússia.’ A programação, que até tem filmes interessantes, embora falte algo como “A Confissão”, de Costa Gravas, acontece entre 5 e 10 de novembro. O desenho de Stálin ao fundo, que ilustra as duas primeiras páginas, é a ‘obra de arte’ ‘O Capitão do País dos Sovietes nos Leva de Vitória em Vitória’, do famoso artista plástico russo B. Efimov.”

Pregado no poste: “A administração de Campinas não foi digna da campanha do PT?”

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *